Publicidade



A necessidade do estudo no mercado de trabalho

Quando eu era criança eu ouvia de meu pai que eu teria que estudar, pois com deficiência em um braço não poderia viver de trabalho pesado e braçal. De tanto ouvir repetidamente seus conselhos me dediquei muito na escola e também de maneira autodidata, pois nossas condições financeiras nunca foram das melhores. Os conselhos não poderiam ter sido melhores.
Os tempos se passaram e esses conselhos se tornaram mais válidos que nunca. Hoje em dia nem trabalho braçal se consegue se a pessoa não tiver estudo. Tudo tende para a automatização, aperta-se botão aqui e ali, painéis cada vez mais sofisticados são impostos em qualquer tipo de trabalho. Se a pessoa nem ler direito sabe ela não poderá fazer mais nada.
Lembro com muita tristeza de um dia, quando em meus trabalhos de consultorias técnicas, estava fazendo um levantamento de máquinas em um pátio de leiloeiro. Da sede administrativa um funcionário telefonou para o guardião que estava no pátio, para ele separar, limpar e preparar dois veículos, que iriam ser colocados no leilão. Esse senhor me procurou então desesperado e quase chorando, pedindo que o ajudasse identificar os veículos, pois ele não sabia sequer ler as placas e não podia perder o emprego, tinha duas lindas crianças para criar e com muita dificuldade tinha conseguido esse trabalho. Isso me cortou o coração. Ajudei esse senhor na identificação e como eu tinha boa amizade com seu patrão, convenci o mesmo a mantê-lo no emprego e ajudá-lo a resolver esse problema. O seu patrão não só o manteve no emprego como o ajudou a ingressar numa escola. Algum tempo depois esse senhor exibia com orgulho seus conhecimentos e estava muito feliz por ter descoberto as maravilhas de saber ler e escrever e se tornara um dos mais eficientes funcionários, além de ser eternamente grato a mim e ao seu patrão. Foi como se tivesse salvado sua alma.
Outro dia um amigo meu estava admitindo dois funcionários para a empresa dele, para trabalhos braçais de organização e armazenamento de caixas no estoque. A exigência era de no mínimo possuir o segundo grau completo, pois ele não suportava mais os erros dos outros sem estudo. Teve que pagar um salário melhor e encontrou um monte de candidatos.

Publicidade