Category Archives: Compras

Quais os cuidados nas compras em supermercados?


Um ato tão simples como o de se fazer compras, que até uma criança consegue fazer, também pode exigir alguns cuidados. Cuidados que nem sempre as pessoas têm, pagando muito caro pela falta deles.

As grandes redes de supermercados investem bastante em pessoas especializadas que estudam minuciosamente os comportamentos das pessoas, para aumentaras suas vendas.

O consumidor também tem que estar preparado para fazer compras, para não entrar nas armadilhas impostas.

Listamos abaixo alguns cuidados que se deve ter quando se vai aos supermercados para fazer compras.
1 – Nunca ir ao supermercado com fome, pois isso faz com que alguns produtos sejam comprados sem necessidade.
2 – Evitar levar crianças ao supermercado, pois as gôndolas são dispostas de maneira a sugerir às crianças a compra de produtos que nem sempre são saudáveis ou necessárias. Normalmente os produtos sugeridos às crianças estão em gôndolas dispostas nos caminhos, como dos caixas, muitas vezes formando verdadeiros corredores sinuosos. Tais produtos estão quase sempre colocados nas prateleiras mais baixas, sempre ao alcance de qualquer criança.
3 – Sempre fazer uma lista em casa dos produtos a serem comprados, pois isto evita esquecer alguma coisa necessária, além de evitar que se compre produtos desnecessários.
4 – Tomar sempre o cuidado de verificar a data de validade dos produtos, pois muitas das vezes os produtos mais baratos e em promoção expostos nas gôndolas já estão com a data de validade vencida ou faltando poucos dias para se extinguir.
5 – Fazer o cálculo do preço do produto indicado na embalagem, pois um produto que parece ser mais barato que o da outra marca, pode conter uma quantidade menor.
6 – Tomar especial atenção para os preços indicados nas gôndolas e se possível levar um papel e caneta para ir anotando, para se conferir ao passar pelo caixa, pois invariavelmente os preços na hora de se pagar são superiores. Esta é uma prática comum em todos os supermercados e
até parece proposital, pois poucos clientes atentam a este detalhe e com isto no final do dia o supermercado consegue aumentar seus lucros consideravelmente.
7 – Deixar para o final da compra os produtos perecíveis e congelados, como carnes, laticínios e outros, para não ficarem muito tempo nos carrinhos, principalmente em locais e dias quentes.
8 – Adquirir o costume de levar a sacola de casa, evitando as tão condenadas sacolas plásticas, que não são biodegradáveis.
9 – Não esquecer de levar dinheiro, cartão, talão de cheques ou outra modalidade para pagar as compras.

Como comprar um presente certo

Como é difícil comprar um presente!

Normalmente nos acostumamos a presentear crianças em seus aniversários. Isto até que é fácil, pois basta sabermos o sexo e a idade da criança e ir até uma loja de brinquedos.

Mas a coisa começa a se complicar quando vamos presentear um adolescente, que brinquedo simples já está fora de cogitação.

Principalmente nos dias de hoje, que a avalanche eletrônica tomou conta desta idade. Presentes eletrônicos são caros e quase sempre eles já os possuem. Roupas não são muito bem aceitas. Perfume é complicado e quase sempre erramos o gosto da pessoa. Jóias pode ser uma grande saída, porém não são baratas também.

A ocasião também é determinante para a escolha do presente, pois pode ser aniversário, casamento, festas como natal, final de ano, páscoa ou uma ocasião qualquer, bem como o grau de relacionamento que temos com a pessoa. Se o presente é para homem ou mulher, se é parente, namorada, namorado, amigo ou simplesmente um colega de escola ou trabalho.

Essa aflição tomou conta de mim recentemente. Que presente escolher para as bodas de ouro de um casal de amigos meus? Trata-se de um casal realizado, que têm tudo de que necessita e são de poucas vaidades. Até agora estou pensando nessa saída.

Comprar um imóvel ou aplicação financeira?

Sempre achei que aplicar o capital em imóvel é mais vantajoso que aplicar no mercado financeiro, por ser mais seguro.

Porém isso nem sempre é uma verdade e devemos tomar alguns cuidados. Devemos analisar muito bem o tipo de aplicação e a localização do imóvel.

Muitas pessoas já perderam verdadeiras fortunas comprando imóvel na planta, que nunca foram entregues ou não foram tomadas as medidas necessárias por ocasião da compra, como se documentar quanto às condições de tempo de entrega ou do memorial descritivo dos materiais a serem aplicados no imóvel que se está comprando.

Algumas vezes ficamos empolgados com a localização de um imóvel e não vemos o que poderá acontecer algum tempo depois, como por exemplo, se há algum terreno baldio nas proximidades, que poderá ser objeto de uma invasão e até de formação de uma favela, que repentinamente desvaloriza o nosso imóvel.

Há exemplos de desvalorizações de quarteirões inteiros e até de imóveis em uma cidade toda, pela extinção da atividade que puxou a população para aquele local. Isso já aconteceu em várias cidades brasileiras, como foi o caso há tempos atrás, com a entrada do calçado chinês no mercado norte-americano e até no Brasil, com preços competitivos, fazendo com que toda a atividade calçadista entrasse em declinio em certas regiões, como no Vale dos Sinos no Rio Grande do Sul e outras localidades, desvalorizando os imóveis locais, pois muitos imóveis estavam à venda e ninguém se interessava pela compra.

Conheço o caso de um cidadão que comprou um apartamento em uma região nobre e bem servida da cidade e quando já estava morando é que se deu conta que passava o trem em frente e havia um cruzamento nas proximidades, que além do grande barulho das máquinas para puxar o comboio ainda havia o estridente e agudo som das buzinas das máquinas. Ele havia vistoriado o imóvel antes da compra em um horário que o trem não estava passando e não foi capaz de antever as conseqüências, mesmo com a existência dos trilhos em frente.

Outro dia um outro comentava comigo que quando escolheu o terreno para comprar e construir sua casa, era uma rua sem saída e muito sossegada, com pouco movimento de veículos em frente, porém pouco tempo depois a rua foi aberta e o tráfego de veículos em frente ficou insuportável.

Outras vezes podemos escolher um apartamento pela sua ventilação e insolação e existir um terreno vago ao lado, onde em breve surge um edifício, tirando-nos os benefícios que nos levaram à escolha.

Outras vezes aplicamos em um imóvel e pouco tempo depois temos outra idéia, como a de abrir um negócio próprio, que vai exigir um bom capital, mas o imóvel que compramos não tem venda fácil e desta forma nossa aplicação ficou sem liquidez.
Por isso, nem sempre aplicar em imóvel é o melhor investimento.

Recall de carrinhos de bebês


A lei de defesa do consumidor no Brasil já tem alguns anos, porém vêm aos poucos conscientizando tanto os consumidores quanto os fabricantes de diversos produtos.

Já está corriqueiro se ver recall de automóveis e até recentemente foi bastante noticiado o do carro STILO da FIAT.
Mas por esta ninguém esperava, que se anunciaria um recall de carrinhos de bebês.

Esta semana uma grande rede de supermercados, atuante no Brasil, anunciou um recall em carrinhos de bebês, que segundo se informa a dobradiça dos mesmos tem causado cortes nas mãos dos bebês.

É a lei de defesa do consumidor surtindo seus efeitos!

Lojas de antiquários

Andando pelas ruas da minha cidade, passei em uma delas que reúne uma concentração de lojas de móveis e eletrodomésticos usados.
Aparentemente nada de anormal, apenas lojas de coisas antigas e de baixo valor. Porém basta entrar em uma delas e observar sob outra ótica que veremos outra coisa.

Lá é encontrada, entre os objetos de uso cotidiano usados, muita coisa antiga de um valor histórico inestimável, como máquinas de costura ainda manual, ferros de passar roupa à brasa, cabides antigos para chapéus, lampiões a querosene, móveis em madeira talhada, tantas relíquias antigas que causa até um saudosismo, pois em minha infância convivi com muitos destes objetos, que ainda eram de uso normal naquelas épocas.

Estas lojas abrigam um verdadeiro museu de alto valor, vendido aos poucos, acredito que muito mais para colecionadores que para usuários normais.

Como podem haver tantos descontos nas liquidações das lojas?

Sempre no começo de cada ano as contas chegam aos montes nas casas dos brasileiros, além da exaustão total das reservas, causada pelas longas festas que se iniciam com o natal, passando pelo dia primeiro do ano, carnaval e o período de férias de verão, deixando-nos sem poder de compra algum.
É um período crítico para as lojas, que também atravessam dificuldades nessa época do ano. Surgem então as já tradicionais liquidações, onde tudo é colocado à venda por descontos assustadores e inacreditáveis.

Diante de descontos tão grandes ficamos a questionar. Mas se nesta época é possível se vender um bem por esse valor, porque não se vende ao longo do ano por valores menores? Estariam as lojas explorando a população ao longo do ano com os valores das mercadorias de maneira exorbitante? São indagações que todos fazemos.

Porém se analisarmos profundamente a questão, veremos que não é bem isso e que tem outros aspectos envolvidos. Citarei alguns, somente sob meu ponto de vista e com base em minhas análises e conhecimentos.
As contas das lojas, que investiram no estoque esperando grandes vendas de final de ano, começam a vencer e muitas delas não conseguiram boas vendas e têm que fazer caixa rápido, preferindo perder um certo percentual no valor das mercadorias que pagar exorbitantes juros aos bancos.
Muitas das mercadorias colocadas a venda nas liquidações são aquelas ditas “encalhadas”, com algum defeito ou por ser um modelo não muito procurado, que se não for aproveitado esta animação do público, ficará por mais um longo período tomando espaço da loja, depreciando ainda mais, sem render nada o capital investido nelas.
Alguns produtos, embora em bom estado e modelos ainda vigentes, principalmente equipamentos eletrônicos, devem ser vendidos logo, ter rotatividade, pois serão substituídos em breve por modelos mais atuais, com novas tecnologias e ficarão “encalhados” para sempre.
Também há o fator propaganda, sendo essa uma forma de se investir para divulgar o nome da loja e torna o cliente um fiel consumidor do estabelecimento, fazendo frente a concorrência.
Vários são os motivos, com cada loja tendo os seus. Em vista disso já se criou na população aquela expectativa, com muitas pessoas fazendo suas reservas financeiras só para aproveitar essa época e adquirir aqueles bens que necessitam, por preços mais baixos e vantajosos.

Como diminuir o desperdício de alimentos em casa

Você tem idéia de quanto desperdiça de alimentos em sua casa? Desperdícios ocorrem de diversas maneiras. Uma delas, talvez a mais corriqueira, ocorre porque eles simplesmente se estragam e têm que ser jogados fora. Nesse caso, devemos redimensionar as compras, planejando melhor, comprando pequenas porções e indo ao mercado mais vezes por semana, variando os produtos, uma vez compra um e outro dia compra o outro. Isto é mais fácil em se tratando de frutas e verduras.

Outra causa de desperdício é a falta de cuidado, que às vezes temos na conservação. Produtos que são muito perecíveis e deixamos fora da geladeira ou até mesmo dentro dela, porém mal acondicionados e em locais errados dentro dela, como carne que não vamos utilizar logo e ficam fora do congelador ou do freezer, ovos acondicionados na porta da geladeira e até mesmo quando abrimos várias caixas de leites longa vida e não os consumimos de imediato, bem como caixinhas ou latinhas de cremes de leites, leites condensados, extratos, polpas e molhos de tomates, milhos, ervilhas e tantos outros.

Muitas vezes produtos ou parte deles são jogados fora por pura ignorância, porque não sabemos prepará-los. Tenho visto muitas dicas em programas de culinárias e fico surpreso com a utilização que se pode dar para muita coisa que se descarta para o lixo no dia a dia, principalmente em se tratando de cascas de frutas e hortaliças e até mesmo talos de certos alimentos, que pagamos por Kg e jogamos no lixo estes mesmos pesos.

Outras vezes deixamos de comprar um belo bife de filé mignon, porque achamos o preço um tanto elevado e levamos para casa um monte de ossos e sebos, que elevam o preço de uma carne dura a valores acima daquele filé que não levamos, após o descarte dos ossos e da gordura. Da mesma forma um camarão ou um peixe bem preparado podem substituir com grande vantagem qualquer outro tipo de carne, mesmo que à primeira vista seu preço nos afaste de adquiri-los, devida a perda praticamente nula.

Podemos encontrar muitos outros desperdícios em nossa casa e economizar bastante, somente alterando nossas atitudes. Nada mal para os dias atuais!

A falta de confiança agrava a crise?

Estamos cansados de ouvir que devemos ter pensamentos positivos e confiança, para que algo dê certo. É o que vemos nos atuais momentos da crise mundial. É um processo em cadeia, tipo efeito dominó.
As pessoas desempregadas não gastam porque não sabem quanto tempo vão suportar sem emprego e os que estão trabalhando também seguram suas economias por falta de confiança, pois não sabem por quanto tempo vão ficar empregadas.
E assim a crise se agrava. Em uma economia em alta as pessoas se arriscam mais, adquirem bens, assumindo dívidas, pois sabem que,se ficarem desempregadas, facilmente encontrarão outra ocupação e poderão honrar seus compromissos sem problemas. Isso faz com que todo o conjunto da economia cresça e mais pessoas tenham seus ganhos garantidos, que também vão consumir mais e sem medo.
Então entendemos que a crise tem alma. Algo que não apalpamos, mas tem existência. A reversão desse quadro só será possível à medida que a população readquirir a confiança no mercado. Isso poderá levar alguns anos.

Consertar eletrodomésticos em casa vale a pena ?

Em qualquer casa sempre há um conserto a se fazer, porém há pessoas que são pouco acostumadas a fazê-lo e vão logo comprando um novo. Até que ponto vale a pena consertar um bem que não funciona?
Depende o bem e também o estrago que ele apresenta. Eu costumo meter a mão em tudo, mesmo que saiba que não vou conseguir consertar, porém a curiosidade de ver como é feito e como funciona me empurra a desmontá-lo. Chuveiro em minha casa só troco quando fico enjoado dele, tantas são as vezes que encurto as resistências. Com outros eletrodomésticos é a mesma coisa.
Mas há pessoas que não têm paciência para tanto. Essas eu também respeito, pois essa atitude faz com que movimente as vendas e mantenha os fabricantes sempre melhorando e aperfeiçoando seus produtos. Essas pessoas não gostam de obsoletismo em suas casas.
Pagar para se consertar um bem tem que ser muito bem avaliado, pois na maioria das vezes sai mais caro que adquirir um novo, com o ônus de você ficar por mais algum tempo com a sucata feia em casa.

Jóia é um bom presente de natal para as adolescentes

Presentear pode não ser tão simples assim, principalmente adolescentes, que já sabem o que querem e não é qualquer coisa que os satisfaz. Se for menina é mais complicado ainda.
Já enfrentei muitas dificuldades com isso, mas também já aprendi a lição. A dificuldade foi até quando me ensinaram que para menina adolescente jóias são sempre bons presentes. Por mais que elas possuam, uma nova sempre faz a diferença.
Perfumes somente se conhecermos bem a pessoa, caso contrário o investimento pode não resultar em nada ou até no lixo.
Mas com essa crise somente começando, muitos vão ganhar caixinhas de bom-bons ou nada.