Category Archives: Dicas

Quais os cuidados nas compras em supermercados?


Um ato tão simples como o de se fazer compras, que até uma criança consegue fazer, também pode exigir alguns cuidados. Cuidados que nem sempre as pessoas têm, pagando muito caro pela falta deles.

As grandes redes de supermercados investem bastante em pessoas especializadas que estudam minuciosamente os comportamentos das pessoas, para aumentaras suas vendas.

O consumidor também tem que estar preparado para fazer compras, para não entrar nas armadilhas impostas.

Listamos abaixo alguns cuidados que se deve ter quando se vai aos supermercados para fazer compras.
1 – Nunca ir ao supermercado com fome, pois isso faz com que alguns produtos sejam comprados sem necessidade.
2 – Evitar levar crianças ao supermercado, pois as gôndolas são dispostas de maneira a sugerir às crianças a compra de produtos que nem sempre são saudáveis ou necessárias. Normalmente os produtos sugeridos às crianças estão em gôndolas dispostas nos caminhos, como dos caixas, muitas vezes formando verdadeiros corredores sinuosos. Tais produtos estão quase sempre colocados nas prateleiras mais baixas, sempre ao alcance de qualquer criança.
3 – Sempre fazer uma lista em casa dos produtos a serem comprados, pois isto evita esquecer alguma coisa necessária, além de evitar que se compre produtos desnecessários.
4 – Tomar sempre o cuidado de verificar a data de validade dos produtos, pois muitas das vezes os produtos mais baratos e em promoção expostos nas gôndolas já estão com a data de validade vencida ou faltando poucos dias para se extinguir.
5 – Fazer o cálculo do preço do produto indicado na embalagem, pois um produto que parece ser mais barato que o da outra marca, pode conter uma quantidade menor.
6 – Tomar especial atenção para os preços indicados nas gôndolas e se possível levar um papel e caneta para ir anotando, para se conferir ao passar pelo caixa, pois invariavelmente os preços na hora de se pagar são superiores. Esta é uma prática comum em todos os supermercados e
até parece proposital, pois poucos clientes atentam a este detalhe e com isto no final do dia o supermercado consegue aumentar seus lucros consideravelmente.
7 – Deixar para o final da compra os produtos perecíveis e congelados, como carnes, laticínios e outros, para não ficarem muito tempo nos carrinhos, principalmente em locais e dias quentes.
8 – Adquirir o costume de levar a sacola de casa, evitando as tão condenadas sacolas plásticas, que não são biodegradáveis.
9 – Não esquecer de levar dinheiro, cartão, talão de cheques ou outra modalidade para pagar as compras.

Estágio profissional para universitários

Quando o jovem está para concluir o ensino de segundo grau, fica com a cabeça em conflito, pois nem todos já tem nesse período decidido sobre fazer ou não um curso universitário e qual destino escolher.
Depois que entram na faculdade, muitos se acomodam e acham que só o diploma já lhes garantirá o futuro. Grande engano.

É necessário que o estudante universitário tenha em mente que só o diploma não é suficiente para o sucesso da sua carreira e que deve procurar experiência desde cedo, ainda quando estudante.

Por isso deve procurar estágio em empresas, que hoje já é regulamentado por lei. Um bom estágio lhe dará experiência e ensinamentos de como lidar com certas situações, que defrontará quando já for um profissional e estiver assumindo responsabilidades.

Muitas empresas fazem dos estágios verdadeiras escolas para preparar e especializar a mão de obra que utilizarão, de acordo com seus fundamentos. Algumas chegam a aproveitar em seus quadros mais de 60 % dos estagiários utilizados.

Na verdade o estágio é um elo entre a faculdade e a vida real profissional, onde se pode aliar a teoria com a prática.

Bolacha caseira, cerveja caseira, salame caseiro

Com a crise que perdura há muitos anos, a informalidade foi atingindo quase todas as famílias. E quase sempre que a mulher entrou em ação o resultado foi muito bom.

Conheço uma família que se encontrava em sérias dificuldades, com o marido desempregado e com dificuldades para recolocação. A esposa então começou fazer em casa as broas, bolos, tortas e outras gostosuras, que eram sua especialidade. Seu marido começou vender pelas vizinhanças e hoje são proprietários de uma panificadora.

Conheço outra que se encontrava na mesma situação. A mulher começou fazer em casa as bolachas caseiras, que foi cada vez mais aperfeiçoando as receitas, os formatos, as decorações e principalmente as embalagens. Hoje ela emprega várias pessoas e não pára de crescer.

Outra família sobreviveu à crise fabricando e vendendo cerveja caseira e hoje até tem uma marca e é encontrada em várias casas comerciais de diversas cidades.

Outra que conheço, a mulher começou vendendo queijo trançado e outros produtos de fabricação caseira, como salames à beira da rodovia e hoje possui um grande laticínio e uma lanchonete de beira de estada muito freqüentada, além de um hotel conjugado.
Basta ter boa vontade e iniciativa que tudo dá certo.

Receita de bolinhos de chuva para fazer em casa

Muitas vezes estamos em casa e bate aquela fome, justamente quando não temos nada pronto, como pão, frutas ou outra coisa para consumo imediato. Pior ainda é quando não há nenhum comércio perto, como panificadoras, mercearias ou mercados.
O jeito então é ir para a cozinha e fazer alguma coisa. Segue abaixo uma receita para se fazer em casa aquele gostoso bolinho de chuva.

Ingredientes
1 xícara de farinha de trigo
1 xícara de amido de milho
1/2 xícara de leite
2 ovos
4 colheres de açúcar
1 colher de sopa de fermento em pó
Modo de Preparo
Bata o açúcar com os ovos e junte os demais ingredientes. Em uma panela esquente o óleo e frite colheradas da massa em fogo baixo. No final salpique canela e açúcar nos bolinhos. Observação: Evite utilizar óleo muito quente pois o recheio pode ficar cru. Depois de frito passe os bolinhos em açúcar com canela.
Tempo de Preparo
30 minutos
Rendimento
15 porções

Dicas de culinária para república de estudantes

Para ser um profissional considerado experiente, todo universitário deveria fazer um estágio morando em alguma república de estudantes.
É coisa de pobre, mas é onde se aprende a ser um ente social. Nelas tem de tudo. Dedicação aos estudos, companheirismos, discussões, festas. Lá se aprende os limites entre o malandro e o cidadão responsável.

Lá o jovem aprende a se virar nas coisas caseiras, naquelas que a mamãe sempre fez por ele, como arrumar sua própria cama, lavar e passar sua própria roupa, limpar a casa e principalmente fazer alguma comidinha, além de aprender a ser tolerante com os apelidos advindos da convivência na república.

Em república de estudante nunca falta “cachaça” na geladeira, nem “cueca suja” espalhada pelo quarto e muito menos “macarrão” no armário, quando se tem o tal armário.
As refeições são quase todos os dias a mesma coisa. Um dia tem “sopão” e no outro “só pão”. Mas com o passar do tempo aprende-se fazer uns pratos diferentes, que podem ser úteis para o resto da vida, principalmente em dias de crises.

Um destes pratos, comuns em repúblicas é a tal “quirerinha de milho”, à qual podem ser adicionadas umas rodelinhas de salsichas, que no sul do país chamam de “vinas”. È um prato barato, nutritivo, rápido e fácil de fazer. Quando se dispõem de mais recursos, podem-se substituir as “vinas” por pedacinhos de “bacon”, o popular “toucinho de porco” na linguagem de pobre, cortados bem miudinhos e fritos previamente, antes de se colocar a quirerinha e água para se cozinhar. Com um pouco mais de recursos, pode-se sofisticar este prato, substituindo o “toucinho” pela ‘costelinha de porco”, mas daí já se tornou um prato Chic.

Com umas trezentas gramas de quirerinha, duzentas gramas de vinas, e mais umas duas ou três dúzias de latinhas de cervejas, antecedidas de umas caipirinhas das mais baratas “cachaças”, duas duplas de estudantes passam a madrugada jogando baralho, felizes da vida, rindo um do outro e esquecem até das provas da segunda-feira.
Quem nunca morou em república de estudante deveria pelo menos fazer umas semanas de estágio em uma delas!

Como surgiu a aliança de casamento

Acredita-se que os Faraós do Egito foram os primeiros a usar um círculo, sem começo ou fim, como um símbolo da eternidade, mas usar uma aliança como promessa pública de honrar um contrato de casamento não se tornou comum até a época Romana. As primeiras alianças eram feitas de ferro Em ouro com pedras preciosas tornaram-se moda na época Medieval. As gemas mais populares eram simbólicas – o Rubi (vermelho) era a cor do coração, a Safira azul refletia o céu – mas a mais apreciada e poderosa pedra preciosa era o “indestrutível” diamante.
Simboliza a perfeição, a unidade perfeita sem começo ou fim. Para alguns ela representa santidade, perfeição e paz, assim como o Sol, a Terra e o universo.

O Papa Inocente III declarou que deveria haver um período de espera que deveria ser observado entre o pedido de casamento e a realização da cerimônia matrimonial. É por isso que hoje existe um anel de noivado e depois a aliança de casamento.

A mão esquerda foi escolhida ao invés da direita devido a ser menos ativa que a direita tornando-se mais seguro.
Como saber a medida para seu anel
1. Dê uma volta no seu dedo com um barbante, linha ou algum tipo de fio flexível;
2. Marque no fio a medida exata da circunferência de seu dedo;
3. Estenda o fio sobre uma régua e leia o comprimento marcado no fio.
4. Veja tabela abaixo para saber o número equivalente ao seu dedo
Exemplo:
Você mediu 5,70 cm = número do aro: 17
Veja a sua medida5,00 cm equivale ao número = 10
5,20 cm equivale ao número = 12
5,40 cm equivale ao número = 14
5,60 cm equivale ao número = 16
5,80 cm equivale ao número = 18
6,00 cm equivale ao número = 20
6,20 cm equivale ao número = 22
6,40 cm equivale ao número = 24
6,60 cm equivale ao número = 26
6,80 cm equivale ao número = 28
7,00 cm equivale ao número = 30
7,20 cm equivale ao número = 32
7,40 cm equivale ao número = 34
7,60 cm equivale ao número = 36
7,80 cm equivale ao número = 38
8,00 cm equivale ao número = 40

Dicas para se fazer um delicioso sorvete caseiro

Com o verão e o calor pensamos somente em coisas geladas, como sucos e sorvetes. Mas nada melhor que fazer uma receitinha caseira.
Segue abaixo uma receita de sorvete caseiro, fácil de fazer.. INGREDIENTES : duas xícaras de chá de algum espumante; uma lata de leite condensado; uma lata de creme de leite; pedaços de frutas como melão, manga ou pêssego.
. MODO DE PREPARAR : bate-se em um liquidificador o espumante, o leite condensado e o creme de leite, até ficar homogêneo. Cobre-se com um filme plástico e leva-se ao freezer por umas 4 horas. Retira-se, bate-se novamente e devolve-se ao freezer, deixando por mais umas 12 horas ou até endurecer.
Aí é só servir com a fruta de sua preferência e se deliciar !

Algumas dicas para conseguir um emprego

Em época de grande crise e a mídia “bombando” em todo momento notícias de demissões em massa, torna-se preocupante e mais difícil uma colocação no mercado de trabalho. Quem já tem alguma experiência também não está encontrando facilidade, pois igual e até melhor que ele tem muitos, vindos da grande massa de demitidos. Os que vão entrar no mercado de trabalho podem encontrar ainda maiores dificuldades.
Como conseguir então um emprego? Realmente os dias de hoje estão muito mais complicados que um passado bem recente. Qualquer que seja o emprego hoje em dia, exige-se alguma qualificação e um diferencial e isso só é possível se o candidato tiver um mínimo de escolaridade necessária para a vaga em questão.
Até para porteiro de condomínio ou empregada doméstica já está se exigindo pelo menos o ensino fundamental e algum conhecimento de informática. Além do ensino com as disciplinas normais, hoje em dia há o analfabeto digital, que o mercado de trabalho também está rejeitando.

Só espalhar um monte de currículos por todos os lados não basta. A pessoa deve ao longo de sua vida profissional não se descuidar dos contatos com outros colegas relacionados com sua formação e aptidões e sempre estar se reciclando e se atualizando. No mundo corporativo globalizado dos dias atuais é imperioso o conhecimento de pelo menos uma segunda língua. O trabalho em equipe é moda e o relacionamento é tudo para que isso seja possível. Uma pessoa muito fechada, egoísta, que se isola, não consegue espaço hoje em dia nas empresas. Há de se ter relacionamento até nas atividades fora do serviço, como festas, esportes, encontros e outras.

Por ocasião de uma entrevista o candidato deve demonstrar identificação com a empresa e grande interesse pela vaga. Salientar suas virtudes e aptidões relacionadas com as atividades a serem desenvolvidas naquele cargo. Deve demonstrar sua facilidade de integração com os outros componentes da corporação, para somar esforços em prol do objetivo comum. Mostrar-se responsável e ir para a entrevista trajando-se adequadamente e condizente com a vaga e o cargo ofertado é fundamental.
O candidato a uma vaga deve estar informado da faixa de salário do mercado na região, para não exigir o que não se paga e desta forma jogar fora a chance de entrar na organização, onde poderá mostrar seu potencial e futuramente alcançar seus objetivos.

Hoje em dia não basta pegar um diploma e sair por aí achando que vai conseguir uma colocação com facilidade. Durante seus anos de estudos é uma época adequada para fazer variados estágios e dessa forma se tornar mais versátil e experiente. Normalmente as empresas recrutam um ex-estagiário, que já está treinado e integrado com os demais componentes da equipe, bem como familiarizado com os problemas da empresa.

Enfim, os dias atuais se tornaram bem mais competitivos e a pessoa comodista vai ficar de fora mesmo!

Você costuma ter os cuidados básicos com seu carro antes de viajar?

Quem está acostumado a viajar regularmente pelas estradas brasileiras depara com situações das mais curiosas todos os dias. Veículos que são verdadeiras sucatas trafegam por nossas estradas sem serem incomodados.
Nos feriados, como os de fim de ano, a situação piora, pois muitas pessoas não dão a atenção devida aos seus veículos e quando entram em férias colocam a família toda nele e saem pelas estradas, colocando todos em situação de alto risco.
Mas também são encontrados veículos novos e semi-novos pifados à beira das estradas. Porque isso acontece?
Acontece porque os usuários na maioria das vezes acha que é só colocar combustível e sair por aí. Não têm os cuidados mínimos, que evitariam estes transtornos.
Alguns cuidados mínimos antes de viajar:
1 – Verificar se o carro tem combustível.
2 – Verificar a calibração dos pneus. Verificar também se os pneus estão
em bom estado, se não estão “carecas” ou com alguma danificação,
mesmo que novos, causados por alguma pedra ou outra situação.
3 – Verificar o nível de óleo lubrificante, água de refrigeração, óleo de
freios, óleo da direção hidráulica, água do limpador de pára-brisas.
4 – Verificar se os amortecedores estão bons.
5 – Verificar se os freios estão funcionando bem, se não há necessidade de
trocar pastilhas, discos e outros componentes. Testar os freios para ver
se não está pegando em um só lado.
6 – Verificar se as palhetas do limpador de pára-brisas estão em bom
estado e se não estão ressecadas.
7 – Nunca esquecer de verificar se está portando os documentos do veículo
e os pessoais, verificando se sua carta de motorista está com validade.
Considero estes os cuidados mínimos, para carros que se tem conhecimento de sua boa condição, porém o ideal seria levá-lo a uma oficina de confiança para uma análise completa de motor; embreagem; freios; amortecedores; sinalizações e luzes; estabilidade, com verificação de balanceamento das rodas, cambagem, caster e outros itens.
Tenha o mínimo de cuidado com seu veículo, não coloque sua vida, a vida de sua família e a dos outros em perigo e tenha uma boa viagem.

Ventilador ou ar condicionado?

O calor está chegando forte neste verão. Em algumas horas do dia torna-se insuportável permanecer em ambientes fechados. Daí recorre-se a equipamentos, como ventiladores e ar condicionado.
A questão é saber o que é melhor ou pior para a nossa saúde. O suposto conforto do ar condicionado pode trazer conseqüências graves, pois nem sempre se dá uma manutenção adequada aos equipamentos, gerando bactérias, ácaros e muito mais fatores para trazer doenças respiratórias.
O ventilador por outro lado pode não resolver muito, fazendo apenas o ar quente e contaminado circular, sem a sua renovação.
O melhor mesmo se for possível é a ventilação natural, recipientes com pé direito alto, janelas grandes, com boa aeração. Mas isso só se encontra em arquiteturas antigas, não mais nos nossos dias.