Category Archives: Estudos

Estágio profissional para universitários

Quando o jovem está para concluir o ensino de segundo grau, fica com a cabeça em conflito, pois nem todos já tem nesse período decidido sobre fazer ou não um curso universitário e qual destino escolher.
Depois que entram na faculdade, muitos se acomodam e acham que só o diploma já lhes garantirá o futuro. Grande engano.

É necessário que o estudante universitário tenha em mente que só o diploma não é suficiente para o sucesso da sua carreira e que deve procurar experiência desde cedo, ainda quando estudante.

Por isso deve procurar estágio em empresas, que hoje já é regulamentado por lei. Um bom estágio lhe dará experiência e ensinamentos de como lidar com certas situações, que defrontará quando já for um profissional e estiver assumindo responsabilidades.

Muitas empresas fazem dos estágios verdadeiras escolas para preparar e especializar a mão de obra que utilizarão, de acordo com seus fundamentos. Algumas chegam a aproveitar em seus quadros mais de 60 % dos estagiários utilizados.

Na verdade o estágio é um elo entre a faculdade e a vida real profissional, onde se pode aliar a teoria com a prática.

Livros de histórias estão entre os mais vendidos no Brasil

Pesquisas recentes apontam que os livros versando sobre história estão entre os mais vendidos atualmente no Brasil. Dizem que de 10 livros vendidos 5 versam sobre história.

Um deles tem o título “1808”, do escritor Laurentino Gomes, que já vendeu mais de 600 mil exemplares desde 2007, quando foi lançado.

Este livro trata da história da vinda da família real ao Brasil naquele ano, fugindo da guerra de Napoleão. Trata das conseqüências e desfechos que a família real ocasionou por aqui.

O próprio escritor acha que o sucesso do livro está na linguagem utilizada, que trata a história com uma linguagem quase que jornalística, saindo da formalidade oficialesca dos livros escolares. Ele acha também que o brasileiro também está buscando no passado as explicações para o Brasil de hoje.

O escritor lançou agora o outro livro, com o título de “1822”, na mesma formatação do anterior, versando sobre a independência do Brasil.

Não li este livro ainda, mas dizem que ele traz alguns aspectos e esclarecimentos sobre a independência brasileira que até então não haviam sido tratados até aqui em livros de histórias normais.

A curiosidade está ocasionando uma verdadeira corrida até as livrarias e a expectativa é que este livro alcance o mesmo sucesso do anterior.
O escritor promete lançar daqui alguns anos mais um livro nesta linha, tratando da proclamação da república em 1889.

Vestibulares padronizados nas universidades federais

Esta semana estiveram reunidos no Ministério da Educação os reitores das universidades federais de todo o país, para discutir uma possível unificação e padronização dos vestibulares em todas as instituições federais de ensino superior.

O governo está propondo uma mudança, que dizem será implantada em breve, onde as provas dos vestibulares seriam unificadas e padronizadas, dando mais ênfase ao ensino básico e nem tanto ao médio.

Seria como é hoje o ENEM e as notas desta avaliação passariam a ter um grande peso nas notas dos vestibulares de todas as instituições federais.
Depois das cotas paras isso e para aquilo, agora eles querem destruir ainda mais o único filtro, já todo arrebentado por eles mesmos, para selecionar e qualificar os profissionais que saem destas faculdades.
Daqui uns tempos será melhor fazer uma cirurgia em um açougue que procurar um médico!

Algumas dicas para conseguir um emprego

Em época de grande crise e a mídia “bombando” em todo momento notícias de demissões em massa, torna-se preocupante e mais difícil uma colocação no mercado de trabalho. Quem já tem alguma experiência também não está encontrando facilidade, pois igual e até melhor que ele tem muitos, vindos da grande massa de demitidos. Os que vão entrar no mercado de trabalho podem encontrar ainda maiores dificuldades.
Como conseguir então um emprego? Realmente os dias de hoje estão muito mais complicados que um passado bem recente. Qualquer que seja o emprego hoje em dia, exige-se alguma qualificação e um diferencial e isso só é possível se o candidato tiver um mínimo de escolaridade necessária para a vaga em questão.
Até para porteiro de condomínio ou empregada doméstica já está se exigindo pelo menos o ensino fundamental e algum conhecimento de informática. Além do ensino com as disciplinas normais, hoje em dia há o analfabeto digital, que o mercado de trabalho também está rejeitando.

Só espalhar um monte de currículos por todos os lados não basta. A pessoa deve ao longo de sua vida profissional não se descuidar dos contatos com outros colegas relacionados com sua formação e aptidões e sempre estar se reciclando e se atualizando. No mundo corporativo globalizado dos dias atuais é imperioso o conhecimento de pelo menos uma segunda língua. O trabalho em equipe é moda e o relacionamento é tudo para que isso seja possível. Uma pessoa muito fechada, egoísta, que se isola, não consegue espaço hoje em dia nas empresas. Há de se ter relacionamento até nas atividades fora do serviço, como festas, esportes, encontros e outras.

Por ocasião de uma entrevista o candidato deve demonstrar identificação com a empresa e grande interesse pela vaga. Salientar suas virtudes e aptidões relacionadas com as atividades a serem desenvolvidas naquele cargo. Deve demonstrar sua facilidade de integração com os outros componentes da corporação, para somar esforços em prol do objetivo comum. Mostrar-se responsável e ir para a entrevista trajando-se adequadamente e condizente com a vaga e o cargo ofertado é fundamental.
O candidato a uma vaga deve estar informado da faixa de salário do mercado na região, para não exigir o que não se paga e desta forma jogar fora a chance de entrar na organização, onde poderá mostrar seu potencial e futuramente alcançar seus objetivos.

Hoje em dia não basta pegar um diploma e sair por aí achando que vai conseguir uma colocação com facilidade. Durante seus anos de estudos é uma época adequada para fazer variados estágios e dessa forma se tornar mais versátil e experiente. Normalmente as empresas recrutam um ex-estagiário, que já está treinado e integrado com os demais componentes da equipe, bem como familiarizado com os problemas da empresa.

Enfim, os dias atuais se tornaram bem mais competitivos e a pessoa comodista vai ficar de fora mesmo!

Faculdade à distância e por correspondência

Quando chega o final de cada ano e início do ano seguinte, um grande número de jovens de todo o país passam por momentos de grande aflição. Precisam definir o rumo de suas vidas. Uns param de estudar e se contentam apenas com o ensino médio, chamado de segundo grau nos meus tempos, porém outros sentem a necessidade, cada vez mais imperiosa nos nossos tempos, de fazer um curso superior.
Aí é que o problema aparece, pois não há vagas para todos nas faculdades públicas e em seus vestibulares passam aqueles mais preparados, normalmente os que tiveram mais condições ao longo de seus estudos anteriores.
Para a grande maioria sobram então as faculdades particulares, que se proliferaram em grande número pelo país e que salvo alguns casos, quase todas elas são de baixíssima qualidade e de altos custos das mensalidades.

Como a demanda é grande e há mercado, surgiram aquelas que não passam de fábricas de diplomas, as chamadas faculdades “não presenciais”, onde o estudante não comparece às aulas e somente comparece periodicamente para fazer provas, estuda à distância, por correspondência, algumas já utilizando os modernos meios de comunicação, através da internet. Não passa de comercialização do ensino, onde se aprende pouco e somente se consegue um diploma fácil.

Mas não sei o que será pior em breve, se ser atendido por um profissional formado nestas faculdades ou se por um profissional que entrou em uma faculdade por meio das cotas do Sr. Lula.

A nova ortografia da língua portuguesa

O acordo sobre a nova ortografia nos países de língua portuguesa está dando dor de cabeça para muitas pessoas.
Obras literárias e muitos outros materiais impressos ficarão obsoletos e sem serventia em breve, gerando grandes prejuízos.
Até a nossa educação enfrentará dificuldades e o que aprendemos ficará obsoleto, pois não há como milhões de cidadãos voltarem às escolas ou se reciclarem para atender às novas regras. Em poucos anos a geração que aprenderá pela nova ortografia vai nos considerar velhos e ultrapassados. Os professores da língua portuguesa nas escolas passarão por maus momentos, tendo que refazer seus conhecimentos ou abandonar a profissão. Até os professores de outras disciplinas terão dificuldades, pois saber a nossa língua com correção também faz parte de seus conteúdos.
Os concursos públicos para empregos ou ingressos em escolas, como vestibulares, também terão que se adaptar a essas novas regras, constituindo em mais uma dificuldade para seus candidatos.
Elas entram em vigor para valer no início do ano 2013. Até lá ainda haverá flexibilidade em muitos casos, podendo ser aceitas as duas situações, as regras antiga e a nova.

O trote a calouros em faculdades

É tradição, sempre que sai o resultado de um vestibular, o trote aos calouros nas faculdades. É um momento de alegria e confraternização. É a recepção e as boas vindas que os veteranos dão aos novos colegas.
Mas temos visto abusos nessas manifestações. Aquilo que deveria ser momentos de alegrias algumas vezes tem virado tragédia, inclusive com mortes.
Algumas providências foram tomadas por algumas faculdades para coibir a violência nos trotes, porém ainda ocorrem alguns casos pelo Brasil a fora.
Também temos visto iniciativas muito positivas e nobres, como aquelas onde os veteranos montam esquemas e solicitam aos calouros que doem sangue. A maioria dos calouros, agradecidos pela aprovação, não se negam a essa solicitação, atendendo prontamente.

O banho de lama é tradicional, bem como o corte de cabelos. A alegria é total e até os pais e os amigos algumas vezes entram na brincadeira e ficam tão sujos quanto os calouros.

Somente quem já teve essa alegria, sabe o valor dela para extravasar tanta angústia que se carrega até esse momento.

Listas de materiais escolares, uma dor de cabeça para os pais

Todos os anos a situação se repete. Nem se termina bem o ano escolar e já se está gastando para o outro ano. Logo se iniciam os gastos com as matrículas para as próximas séries, compras de uniformes e materiais escolares.
As listas de materiais escolares circulam ainda antes do natal. Pais responsáveis correm logo atrás de adquiri-las, pois temem que o adicional no seu orçamento, vindo com o décimo- terceiro, seja logo dragado pelas festas ou que faltem os materiais necessários.
Algumas escolas usam de muito bom senso e lisura ao confeccioná-las, outras nem tanto, colocando materiais desnecessários aos alunos e que devem ser adquiridos pela própria escola ou direcionam as listas para certos estabelecimentos, de quem recebem comissões.
Os pais devem saber que nenhum material deve ser listado pela marca e sim pelas suas características, nem deve ser obrigatório a sua aquisição em determinado estabelecimento e ainda deve ficar atento para o conteúdo da lista, para a quantidade listada para cada item, para não ter que pagar a mensalidade da escola e ainda adquirir aquilo que é de competência da própria escola.

Brasil, um país que prefere as cotas ao desenvolvimento das pessoas

O Brasil virou um país das cotas. Há cotas para tudo. Cotas para negros nas faculdades, cotas para índios, cotas para quem estudou em escolas públicas, cotas para deficientes em faculdades e nas empresas. Só falta cotas para os sem cotas.
Não seria melhor e mais digno o governo procurar aprimorar o aprendizado? Melhorar o nível das escolas públicas? Melhor as condições de vida para todos os pobres, inclusive os negros? Em vez de dar cotas somente para uma raça, contemplar todas, atribuindo vantagens pela classe social e não pela cor do indivíduo?
Assim que se cria a discriminação racial. No futuro, ao entrar em um hospital, o cidadão vai querer saber a cor do médico, a faculdade onde ele estudou, se entrou por cotas ou não, etc, etc. O mesmo poderá ocorrer com outras profissões.
Eu daqui para frente já serei este tipo de cidadão, pois não é possível um governo tão relaxado assim em nosso país.

O comércio de armas no Brasil

Há três anos foi feito um referendo para proibir a venda e posse de armas no Brasil. Alguns interpretavam que com a proibição de vendas diminuísse a criminalidade. Pura ilusão. O bandido não vai comprar sua arma em loja regulamentada e nem faz registro da mesma.
Pelas nossas fronteiras, mal vigiadas, passam de tudo, mercadorias de contrabandos, drogas, armas e munições. As quadrilhas possuem armamentos pesados, que muitas vezes nem a polícia os possui.
Por outro lado, não será a falta de arma de fogo que vai diminuir a criminalidade, pois o crime ocorre das mais diferentes modalidades, com uma arma branca ou até sem armas.
Acho que a grande arma para combater o crime no Brasil será aplicar mais recursos e melhorar a educação no nosso país, bem como criar melhores oportunidades a todos, com o Poder Público se fazendo mais presente.