Category Archives: Florestas

Uso de papel agride o meio ambiente?

Uma forte corrente tomou conta de defensores do meio ambiente, que se propagou para a população em geral e hoje desde crianças até pessoas de idade já fazem algum discurso em prol do planeta.

Na maioria dos discursos se ouve que devemos evitar o uso de papel, pois isso implica em derrubada de árvores, comprometendo desta forma o nosso planeta.

Porém os empresários ligados a este setor contestam esta versão e dizem que é bem ao contrário. Argumentam que o papel fabricado atualmente não é com árvores nativas e sim a partir de reflorestamentos criados pelas próprias empresas, que desta forma estariam contribuindo para a captação do dióxido de carbono e não destruindo as florestas já existentes.

Nisso eles até tem razão, porém há o aspecto do grande consumo de água e energia para a fabricação do papel, ale da área de reflorestamento, que poderia ser utilizada para plantio de alimentos.

A importância da arborização nos grandes centros urbanos

Quando se fala em vegetação em um centro urbano, só se pensa na purificação do ar. Poucos pensam em outros benefícios.
Na verdade a vegetação traz muitos outros benefícios, como na estabilização térmica e no grau de umidade do ambiente, tão importantes para a saúde humana.
Mas existem outras vantagens, não percebidas com tanta facilidade quanto as mencionadas. Uma delas é a importância como a cura do estresse. Uma pessoa sujeita a uma vida de grande atividade, com muita cobrança, pode melhorar muito seu estado físico com um simples passeio a um bosque, mesmo nos finais de semanas.
Mas o que me motivou escrever sobre isso é ainda mais difícil de se perceber, se não prestarmos atenção. Um terreno, que ainda está desocupado, em frente ao prédio onde eu moro, possuía mais que uma dezena de frondosos eucaliptos. Em dias de tempestades, quando todos vêem de maneira negativa e temerosa, eu contemplava a resistência, ou a manifestação de alegria destas lindas e fortes árvores, quando se curvavam em obediência aos fortes ventos. Nas tardes tranqüilas elas davam abrigo e hospedavam os pássaros, que em agradecimento recitavam suas melodias ao amanhecer do dia. Era um presente da natureza que eu tinha todos os dias. Meses atrás, por ganância ou necessidade, o proprietário do terreno derrubou essas árvores, transformando-as em lenhas e as substituindo por uma placa de “aluga-se”. Hoje só vejo os restos que sobraram das suas copas, mortas e em decomposição, tornando-me um ser mais infeliz, assim como os pássaros que as habitavam, que hoje sumiram infelizes também.
Faço deste texto o meu protesto !

Um Turismo em trem de luxo pelo interior do Paraná

Para quem gosta de curtir a natureza agora tem uma nova opção. Um roteiro turístico pelo interior do Paraná, curtindo a natureza à bordo de um trem de luxo que reproduz os trens da época do Brasil colonial, em um trajeto de aproximadamente 500 km, que vai de Ponta Grossa até Cascavel.
O empreendimento chamado de Great Brazil Express é voltado principalmente para turistas europeus, porém qualquer pessoa pode utilizá-lo. O passeio constituído de um pacote de 8 ou 10 dias começa no Rio de Janeiro, onde os turistas passam um dia e têm a oportunidade de conhecer o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar. No segundo dia, pegam um avião até Curitiba, no Paraná. Lá eles têm a oportunidade de visitar a cidade em um trem turístico convencional e conhecer um trecho da Mata Atlântica nos municípios de Antonina e Morretes. De ônibus, saem para Ponta Grossa. Mas no caminho passam por Tibagi, onde há pedras preciosas, o Canyon Guartelá com vegetação nativa, e pinturas rupestres. O município de Castro também está no roteiro, onde existe forte influência da cultura holandesa.

Já em Ponta Grossa, lugar de formações rochosas milenares, lobos-guará, jaguatiricas, quatis e gatos-do-mato, começa a aguardada viagem a bordo do Great Brazil Express. São dois dias de viagem até o município de Cascavel, com hospedagem em Guarapuava e depois passando por Irati, onde há um mirante e uma feira de artesanato. Chegando em Cascavel, um ônibus leva os turistas até as Cataratas do Iguaçu, onde a jornada termina.
O Great Brazil Express é constituído de dois vagões turísticos da companhia paranaense Serra Verde Express. Um investimento de R$ 2 milhões das empresas Serra Verde Express/Grupo Higi Serv (Brasil) e Transnico International Group (Bélgica), garantiu uma redecoração interna dos vagões, com madeiras nobres, sofás de antiquários com poltronas ao estilo Ralph Lauren com revestimento em couro, cortinas de seda, com reproduções de obras de artistas da época, como Debret e Rugendas e telas de plasma que mostram as imagens do passeio, A natureza também está bastante presente na decoração, em pinturas no teto com imagens da flora e fauna e gravuras de pássaros como divisória de cada ambiente. Enquanto desfrutam das paisagens, os viajantes podem petiscar quitutes e experimentar um bom vinho, um whisky ou um champanhe.

A Amazônia é nossa, disse o Presidente Lula

Os sucessivos governos brasileiros têm negligenciado a região amazônica. Uma extensa área sem os devidos cuidados. Uma floresta riquíssima e uma região de recursos minerais incalculáveis.
A cobiça dos estrangeiros não é de hoje. Há muitos anos que diversas organizações travestidas de ONGS vêm atuando na região, sem serem incomodadas.
Os argumentos são sempre os mesmos, defender o meio ambiente e os índios. Mas estas ONGS não se interessam em atuar junto às populações pobres do nordeste e das favelas nas grandes cidades brasileiras, que somam milhões de pessoas.
Já é passada a hora do governo brasileiro assumir uma postura digna do povo brasileiro e controlar de perto essa atuação dos estrangeiros em nosso território, expulsando e colocando na cadeia estas pessoas que estão nos espoliando.
Não basta o Presidente Lula dizer em discursos inflamados que a Amazônia é nossa, é necessário ele fazer alguma coisa para mostrar que realmente esta área ainda é nossa !

O perigo dos balões para a aviação e para a população em geral

Todos os anos nos meses de inverno a aviação brasileira enfrenta mais um grave perigo, os balões.
Mesmo sendo uma atividade criminosa, pessoas irresponsáveis insistem na prática de soltar balões, que além de por em perigo as aeronaves, podem cair em áreas de riscos, como refinarias de petróleos, postos de gasolinas, florestas e até mesmo áreas residenciais, causando incêndios de proporções.
Muito mais que a legislação e punições acho que as pessoas têm que ser conscientes dos perigos e danos que tal prática provoca.

A falta de alimentos no mundo e o biocombustivel

Não tardou muito para que os grandes interesses econômicos do mundo se voltassem contra o programa do biocombustivel brasileiro. Em discurso recente o presidente Lula acusou os grandes grupos do Petróleo como responsáveis por essa propaganda negativa contra o nosso biocombustível. Isso tem fundamento, pois se a matriz energética mundial sofrer grandes mudanças, esses grupos terão grandes prejuízos.
Os grandes argumentos, principalmente dos europeus, é que grandes áreas de plantio de alimentos poderão ser destinadas à cana de açúcar e que áreas florestais, como a região amazônica, serão devastadas para plantio de cana. Esses argumentos deles também têm alguma consistência. Então quem tem razão?
No meu entender, os dois lados têm razão e ao mesmo tempo nenhum deles. Na verdade existem pressões de grupos econômicos europeus e mundiais para que seus interesses petroleiros não sejam afetados e eles também querem continuar comprando alimentos dos países pobres a preço vil. Por outro lado, se esse programa do biocombustivel não for bem implementado, esses argumentos deles podem se confirmar, pois aqui no Brasil a ganância de nossos grupos econômicos e a falta de comando do nosso governo facilita esse processo.