Category Archives: Idade

O Brasil será um país de velhos?

As estimativas do IBGE são que a partir de 2040 haverá mais velhos que jovens até 14 anos no Brasil. Isso se deve à diminuição da taxa de natalidade, à diminuição da família brasileira, com campanhas educativas e de planejamento familiar, intensificadas nos últimos anos, bem como o aumento da expectativa de vida dos brasileiros. Hoje em dia, com as melhorias da medicina e o maior acesso a remédios e melhores condições de vida, o brasileiro sobrevive mais, morrendo com mais idade.
Isso acendeu a luz vermelha, pois vivendo mais os nossos idosos ficarão mais anos sob os benefícios da previdência social, já deficitária, conforme se divulga por aí.
Por isso, há alguns anos atrás, ainda no governo de FHC, quando se lançou a campanha da vacinação dos idosos contra a gripe, muitos deles não tomavam a tal vacina nem amarrados, pois circulou um boato que a tal injeção era para matá-los aos poucos, para gerar economia à Previdência Social.

Dercy Gonçalves – uma figura impar

Uma personagem ímpar nos deixou esse mês de julho de 2008. morreu a Dercy Gonçalves. Com seus cento e poucos anos, pois uns dizem ser 101 e ela afirmava ser 103 anos.
Parecida com ela acredito que nunca mais teremos. Com energia até esta idade acho que não mesmo. Não vou dizer que ela morreu com plena lucidez, pois isso é coisa que nos confunde no caso dela. Se fosse outra pessoa, diriam que não estava mais lúcida, por falar tantas palavrões, mas como isso sempre foi sua marca registrada, não se sabe se isso era lucidez ou já lhe faltara há muitos anos.
Foi autêntica e muito contribuiu à classe artística brasileira. Muitos políticos também devem estar refletindo sobre seus comentários e depoimentos, sempre contundentes e puros.
Que Deus o tenha, grande Dercy.

O obsoletismo e sucateamento dos carros atuais

Ás vezes não nos damos conta da rapidez com que anda o desenvolvimento tecnológico. Nas últimas décadas têm sido impressionantes as mudanças em todos os ramos, mas na tecnologia automobilística talvez seja mais fácil de visualizar.
Antes se comprava um carro e trinta anos depois ele ainda estava rodando. Quando estragava, qualquer pessoa com a ajuda de um martelo e um alicate, com um pouquinho de raciocínio conseguia consertar.
Hoje as coisas mudaram muito. Os veículos se transformaram em bens praticamente descartáveis. São ótimos durante um curto período e enquanto estão rodando, mas basta necessitarmos de algum reparo para sentirmos o desgaste por obsoletismo e o seu sucateamento. Não é qualquer pessoa e nem qualquer mecânico que pode se considerar habilitado a mexer na complicada tecnologia, quase toda eletrônica, que envolve um veículo atual. Cinco anos depois já há dificuldades para se encontrar peças de reposição e se tornam caros os consertos. Os sistemas se tornam obsoletos, não é qualquer oficina que dispõem de aparelhagem e instrumentação necessária e nem é qualquer pessoa que entenderá o suficiente. Quando alguém não habilitado põem a mão é só para complicar tudo, estragando e desregulando ainda mais, ficando ainda mais caro o conserto posterior.
Em poucos anos se vive o que se levava uma vida inteira e não se via. Isso dá a impressão que o próprio tempo transcorre mais depressa e se vive em poucos anos o que se levava um século há poucos anos atrás.

A moda de pintar o cabelo. As tintas e truques

Já não é mais possível saber se estamos namorando uma loira ou morena. Nos dias de hoje, com tanta facilidade para se pintar o cabelo, as mulheres se produzem de acordo com a demanda. Todas as cores e tonalidades são possíveis.
Surgiram muitos produtos e a qualidade dos mesmos também aumentou e hoje não há mais preconceitos. Até homens usam deliberadamente de tinturas e tratamentos nos cabelos, que grisalhos por aí é só quando isso dá algum charme, senão os cabelinhos brancos nunca aparecerão.
Temos até visto umas velhinhas de cabelos azuis. Deve ser uma raça de marcianas habitando a terra e nem sabemos.

Garoto de 8 anos da 5.ª série do fundamental é aprovado em vestibular de direito

O governo brasileiro não cumpre com suas obrigações constitucionais em todos os campos. Na saúde é uma precariedade, obrigando as pessoas a possuírem planos de saúde; na segurança todos sabemos o que está acontecendo; no transporte só sabe privatizar; em todos os outros campos ele se omite e deixa que exploradores do povo tomem conta, uma vez que nem para fiscalizar serve. Mas é na educação que o problema é maior, pois é a base do desenvolvimento de qualquer nação.
Esses dias o Brasil todo foi posto a refletir sobre o descaso da educação em nosso país, quando se divulgou que João Victor Portellinha de Oliveira, de 8 anos, aluno do 5º ano do ensino fundamental, em Goiânia foi aprovado no vestibular para o curso de direito da Universidade Paulista (Unip). A princípio até seus pais se enalteceram com o fato, porém logo todos sentiram o absurdo. Não podemos dar nenhum mérito a esse garoto e sim tirar todo o crédito desta faculdade e de todo o ensino brasileiro.
A Ordem dos Advogados do Brasil, OAB, Seção de Goiás, classificou a aprovação de João Victor como “preocupante”. “O fato materializa o alerta que a OAB-GO vem fazendo há tempos sobre a mercantilização do ensino jurídico, que não está sendo tratada pelas autoridades com a devida urgência que requer”, disse nota divulgada no site da Ordem. O documento diz ainda: “O referido fato, por si só, caso seja comprovado, merece que a instituição de ensino sofra imediata intervenção do MEC para que seja verificado se casos semelhantes ocorrem com freqüência e em que circunstância o episódio ocorreu”.
Não bastasse o verdadeiro comércio que virou o ensino em todo o país, sem fiscalização adequada por parte do governo, ele próprio está contribuindo para a piora, com a instituição das tais cotas para ingresso em faculdades pública. Em vez de melhorar o ensino em sua base, esse governo paternalista e eleitoreiro, prefere facilitar e aceitar que os profissionais tenham baixo nível.
Mesmo que o governo repita e engane o povo, dizendo que as cotas não estão refletindo no nível dos alunos nas faculdades, quem estudou em uma boa faculdade sabe que é mentira e que vai ser difícil confiar em um médico, engenheiro, advogado ou outro profissional, que ingressou em faculdade através das beneces eleitoreiras do Sr. Lula, que se quer sabe o que é um banco de Faculdade.
Por isso surgem piadas, a todo momento, como esta : “Perguntaram a um vestibulando sobre química, qual a diferença entre uma dissolução e uma solução”. Ele prontamente respondeu : “ dissolução é quando colocamos um político em um tanque de ácido e solução é quando colocamos todos eles nesse tanque”.
joao-victor-unip.JPG

As cirurgias plásticas são cada vez mais populares

As cirurgias plásticas até anos atrás eram quase que exclusivamente corretivas, para situações de acidentes ou outras deformações, usadas somente por pessoas de muitas posses, mas está se tornando muito popular e usada por qualquer pessoa, mesmo as de menor poder aquisitivo.
Hoje em dia buscam-se esses tratamentos até sem necessidade, por questão de estética, para solucionar bolsas sob os olhos, papados, problemas outros da face, mamas, etc. Quem mais procura estas cirurgias ainda são as mulheres, mas tem aumentado muito a procura por parte dos homens também.
As mulheres buscam mais pela lipoaspiração, para remover os pneuzinhos, e principalmente pela implantação de silicones nas mamas. O grande problema que tem havido é a cirurgia ser executada em clinicas ou por profissionais não habilitados ou até mesmo em clinicas clandestinas. Problemas graves têm ocorridos, com casos irreversíveis ou até mesmo de óbitos.
Até surgiram empresas financiadoras para tais cirurgias e junto com elas vieram os problemas. Médicos vinculados a tais empresas não orientavam convenientemente seus pacientes e muitas cirurgias eram feitas sem a menor necessidade ou de maneira inconveniente.
Para intervir nesta situação, foi publicada no Diário Oficial desta sexta-feira ( 14.03.2008 ) uma resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) que proíbe o vínculo entre médicos e empresas que financiam cirurgias plásticas e outros procedimentos médicos.
De acordo com a resolução, “é vedado ao médico vínculo de qualquer natureza (atendimento de pacientes encaminhados ou não) com empresas que anunciem e/ou comercializem planos de financiamento, consórcios e similares para procedimentos médicos”.
Os médicos que desobedecerem a Normativa do Conselho Federal de Medicina vão sofrer sindicância no CRM e CFM e estarão sujeitos a sanções disciplinares.
A medida foi embasada nas inúmeras queixas de cirurgias malsucedidas registradas contra médicos nos conselhos. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), três em cada quatro casos desse tipo são oriundos de procedimentos feitos por meio de intermediadores.

Aparelhos usados descartados. Que fazer com eles ?

Dias atrás escrevi neste blog, sob o título “ Quando um aparelho eletrônico ou equipamento estraga, compensa consertar?”, questionando sobre as vantagens ou não de se consertar um aparelho hoje em dia. Na minha opinião praticamente não compensa mesmo consertar, pois além do alto custo do conserto ainda estaremos com um aparelho velho e com probabilidades grandes de estragar em breve, uma vez que os outros componentes do mesmo já estão “baleados” e ainda estaremos com um aparelho obsoleto e de poucos recursos em relação aos mais atuais.
Um leitor, concordando com essa opinião, questionou-me, sabiamente, sobre o problema dessa decisão: que é o que fazer com o aparelho descartado ? Realmente temos um grande problema hoje em dia com os lixos gerados pelos descartáveis. Uma grande investida está ocorrendo em todo o mundo contra as embalagens plásticas, que dominaram o mundo nas últimas décadas e agora se transformaram em um grande vilão. O mesmo já está acontecendo com os aparelhos usados descartados. É realmente um grande problema quando temos que descartar um aparelho estragado. É um lixo que ninguém quer. Mesmo que o aparelho não esteja estragado, basta que seja obsoleto e já se transforma numa tremenda dor de cabeça.
Outro dia ouvi uma reportagem sobre computadores usados, em boas condições, que não havia destinação para os mesmos. Já eram ultrapassados e ninguém queria. Uma instituição, com a ajuda de voluntários, recondicionou os mesmos e os utilizou em uma comunidade carente, para a inicialização dos adolescentes no mundo da informática. Achei essa iniciativa muito válida.
Como trabalho com avaliações de equipamentos, certa vez tive que avaliar uns equipamentos, que pertenciam a um banco. Em outros tempos eram equipamentos valiosíssimos e faziam todo o controle e armazenamento de dados desse banco. Estavam para venda em leilão. Os proprietários dos mesmos alimentavam a espectativa de grande valor. Entrei em contato com o fabricante dos mesmos e fui surpreendido quando o funcionário nem se quer conseguiu identificar na lista dos produtos estes equipamentos, que tinham menos de quinze anos de uso. Para susto dos proprietários o valor atribuído aos mesmos foi apenas simbólico e porque não era possível dar-lhes o valor zero. Fui muito questionado por essa avaliação mas mesmo assim foi a leilão por esse valor. Outros quatro leilões se passaram e o equipamento lá estava, sem nenhuma oferta, até que apareceu uma pessoa que os arrematou, após se baixarem os valores. Então questionei o mesmo sobre o que ele faria com esses equipamentos ultrapassados e a surpresa foi maior ainda. Ele solicitou permissão para retirar apenas um componente pequeno que lhe interessava e deixar o restante do monstruoso, que necessitava de dois caminhões para seu transporte. A surpresa é que deste componente ele retiraria uma pequena quantidade de ouro e prata e o restante não lhe interessava e teria custos para retirar do local.
Por isso é normal encontrarmos garrafas pet, geladeiras e outros objetos boiando e poluindo as águas dos rios.
Dias atrás escrevi neste blog, sob o título “ Quando um aparelho eletrônico ou equipamento estraga, compensa consertar?”, questionando sobre as vantagens ou não de se consertar um aparelho hoje em dia. Na minha opinião praticamente não compensa mesmo consertar, pois além do alto custo do conserto ainda estaremos com um aparelho velho e com probabilidades grandes de estragar em breve, uma vez que os outros componentes do mesmo já estão “baleados” e ainda estaremos com um aparelho obsoleto e de poucos recursos em relação aos mais atuais.
Um leitor, concordando com essa opinião, questionou-me, sabiamente, sobre o problema dessa decisão: que é o que fazer com o aparelho descartado ? Realmente temos um grande problema hoje em dia com os lixos gerados pelos descartáveis. Uma grande investida está ocorrendo em todo o mundo contra as embalagens plásticas, que dominaram o mundo nas últimas décadas e agora se transformaram em um grande vilão. O mesmo já está acontecendo com os aparelhos usados descartados. É realmente um grande problema quando temos que descartar um aparelho estragado. É um lixo que ninguém quer. Mesmo que o aparelho não esteja estragado, basta que seja obsoleto e já se transforma numa tremenda dor de cabeça.
Outro dia ouvi uma reportagem sobre computadores usados, em boas condições, que não havia destinação para os mesmos. Já eram ultrapassados e ninguém queria. Uma instituição, com a ajuda de voluntários, recondicionou os mesmos e os utilizou em uma comunidade carente, para a inicialização dos adolescentes no mundo da informática. Achei essa iniciativa muito válida.
Como trabalho com avaliações de equipamentos, certa vez tive que avaliar uns equipamentos, que pertenciam a um banco. Em outros tempos eram equipamentos valiosíssimos e faziam todo o controle e armazenamento de dados desse banco. Estavam para venda em leilão. Os proprietários dos mesmos alimentavam a espectativa de grande valor. Entrei em contato com o fabricante dos mesmos e fui surpreendido quando o funcionário nem se quer conseguiu identificar na lista dos produtos estes equipamentos, que tinham menos de quinze anos de uso. Para susto dos proprietários o valor atribuído aos mesmos foi apenas simbólico e porque não era possível dar-lhes o valor zero. Fui muito questionado por essa avaliação mas mesmo assim foi a leilão por esse valor. Outros quatro leilões se passaram e o equipamento lá estava, sem nenhuma oferta, até que apareceu uma pessoa que os arrematou, após se baixarem os valores. Então questionei o mesmo sobre o que ele faria com esses equipamentos ultrapassados e a surpresa foi maior ainda. Ele solicitou permissão para retirar apenas um componente pequeno que lhe interessava e deixar o restante do monstruoso, que necessitava de dois caminhões para seu transporte. A surpresa é que deste componente ele retiraria uma pequena quantidade de ouro e prata e o restante não lhe interessava e teria custos para retirar do local.
Por isso é normal encontrarmos garrafas pet, geladeiras e outros objetos boiando e poluindo as águas dos rios.

Produtos para bebês e crianças. Um nicho de mercado interessante

Um nicho de mercado muito interessante tem sido os produtos para bebês. O comércio descobriu que é fácil atingir o consumidor quando se mexe com o seu lado sentimental. Os pais querem demonstrar muito mais às pessoas que os cercam que propriamente aos seus filhos o amor que eles têm e não poupam recursos, muitas vezes até são gastos desnecessários.
O comércio descobriu isso e está cada vez mais explorando este nicho de mercado. Produtos como roupas e calçados na maioria das vezes são mais caros que para adultos. Na área alimentar se anuncia todos os tipos de vantagens, mesmo sem saber se aquela criança necessita especificamente daquela vitamina ou outro ingrediente. Os pais entopem seus filhos de qualquer produto, chegando até à intoxicá-los algumas vezes, ministrando-lhes sem qualquer acompanhamento médico ou de nutricionistas profissionais.
É o mundo capitalista, que não poupa nem as crianças !

Óculos ou lentes de contatos ?

Quem tem problemas de visão sabe o quanto é chato usar óculos. Além de seu peso há os embaçamentos, alteração no grau, obrigando a revisões periódicas e os constantes esquecimentos dos mesmos. A mudança no visual da pessoa é também algo que tem que se levar em conta, pois seu uso dá à pessoa um aspecto de envelhecimento. .
Para se resolver isso, alguns avanços surgiram, como lentes que não embaçam, lentes de materiais mais leves, designes modernos de óculos.
Surgiram também as lentes de contatos, que se tornam praticamente imperceptíveis e podem até trocar as cores dos olhos. Mas se adaptar com elas é outro assunto. Poucos os que conseguem, pois se deve tomar cuidados especiais, armazená-las em soro especial, dificuldades para colocá-las e retirá-las, além do incômodo de uso.
A maioria dos laboratórios de oftalmologia também dispõem de seu departamento de “empurrologia”, sempre prontos para convencer o paciente a comprar um par de lentes, que não são baratas.
Outra solução que tem resolvido alguns problemas, principalmente quando se trata de assuntos da córnea, é a cirurgia, que cada vez avança mais. Hoje já existem cirurgias a laser e o paciente precisa de poucas horas para se recuperar.

Os museus, a arqueologia e a história de um povo

Guardar coisas antigas pode ser um grande defeito de uma pessoa. Porém quando essa coisa se torna muito antiga passa a ter o seu valor. Quantas vezes fazemos faxina em casa e jogamos as coisas velhas fora. Quando encontramos alguma coisa que pertenceu aos nossos avós ou bisavós é que percebemos a importância desses objetos.
Dias atrás uma sobrinha minha descobriu, por acaso, na casa de uma tia minha, uma foto de família do meu bisavô. Esta foto estava exposta na parede da casa desta minha tia, porém para ela não parecia tão importante. Só que esta foto está revolucionando minha família. Quase ninguém conhecia a fisionomia do nosso antepassado e dos tios do meu pai. Nem mesmo qual era a fisionomia do nosso pai quando criança. Isso motivou até uma pesquisa em cartórios e consulados, para saber quem estava presente na foto, uma vez que a história da família, contada pelo meu pai é muito interessante, pois são imigrantes, vindos da Europa, no século passado, fugindo dos conflitos que assolavam a Pátria deles.
Esses dias a imprensa do Brasil repete exaustivamente a descoberta de duas múmias de religiosas no Mosteiro da Luz em São Paulo. Esses dois cadáveres, que devem ter aproximadamente duzentos anos, estão trazendo muito interesse histórico. Na época que faleceram não passavam de simples defuntos.
Já é normal em países europeus e agora também está se difundindo no Brasil, a presença de arqueólogos quando se faz escavações para obras em alguns pontos das cidades, como praças, principalmente.
Em Curitiba, no Paraná, em obras que estão sendo realizadas na principal praça da cidade, nas escavações realizadas, que estão sendo acompanhadas por arqueólogos, já se descobriram importantes objetos, que muito vão revelar sobre a história da cidade de séculos passados.