Category Archives: Jóias

Como comprar um presente certo

Como é difícil comprar um presente!

Normalmente nos acostumamos a presentear crianças em seus aniversários. Isto até que é fácil, pois basta sabermos o sexo e a idade da criança e ir até uma loja de brinquedos.

Mas a coisa começa a se complicar quando vamos presentear um adolescente, que brinquedo simples já está fora de cogitação.

Principalmente nos dias de hoje, que a avalanche eletrônica tomou conta desta idade. Presentes eletrônicos são caros e quase sempre eles já os possuem. Roupas não são muito bem aceitas. Perfume é complicado e quase sempre erramos o gosto da pessoa. Jóias pode ser uma grande saída, porém não são baratas também.

A ocasião também é determinante para a escolha do presente, pois pode ser aniversário, casamento, festas como natal, final de ano, páscoa ou uma ocasião qualquer, bem como o grau de relacionamento que temos com a pessoa. Se o presente é para homem ou mulher, se é parente, namorada, namorado, amigo ou simplesmente um colega de escola ou trabalho.

Essa aflição tomou conta de mim recentemente. Que presente escolher para as bodas de ouro de um casal de amigos meus? Trata-se de um casal realizado, que têm tudo de que necessita e são de poucas vaidades. Até agora estou pensando nessa saída.

Anéis de formaturas

Estes dias estava pensando sobre as mudanças de costumes e lembrei dos anéis de formaturas. Ninguém se formava em um curso superior sem que adquirisse ou ganhasse um anel de formatura.

E passavam a exibir orgulhosamente as jóias, como se aquilo lhes tornasse um ser superior. Até para formaturas de cursos de segundo grau se adotavam anéis.

Hoje uma pessoa usar um destes anéis passa por ridículo, cafona e outros títulos depreciativos. Realmente não consigo me ver usando isso.
Os anéis de formaturas têm seus emblemas e pedras próprias para cada curso.
Abaixo listo as pedras usadas para alguns cursos.
. Rubi – Direito, jornalismo.
. Esmeralda – Medicina, enfermagem, fisioterapia.
. Granada – Odontologia.
. Safira azul – Arquitetura, as engenharias, administração de empresas,
psicologia e cursos de ciências exatas de modo geral.
. Topázio amarelo – Farmácia.
. Água marinha – Economia.

Como surgiu a aliança de casamento

Acredita-se que os Faraós do Egito foram os primeiros a usar um círculo, sem começo ou fim, como um símbolo da eternidade, mas usar uma aliança como promessa pública de honrar um contrato de casamento não se tornou comum até a época Romana. As primeiras alianças eram feitas de ferro Em ouro com pedras preciosas tornaram-se moda na época Medieval. As gemas mais populares eram simbólicas – o Rubi (vermelho) era a cor do coração, a Safira azul refletia o céu – mas a mais apreciada e poderosa pedra preciosa era o “indestrutível” diamante.
Simboliza a perfeição, a unidade perfeita sem começo ou fim. Para alguns ela representa santidade, perfeição e paz, assim como o Sol, a Terra e o universo.

O Papa Inocente III declarou que deveria haver um período de espera que deveria ser observado entre o pedido de casamento e a realização da cerimônia matrimonial. É por isso que hoje existe um anel de noivado e depois a aliança de casamento.

A mão esquerda foi escolhida ao invés da direita devido a ser menos ativa que a direita tornando-se mais seguro.
Como saber a medida para seu anel
1. Dê uma volta no seu dedo com um barbante, linha ou algum tipo de fio flexível;
2. Marque no fio a medida exata da circunferência de seu dedo;
3. Estenda o fio sobre uma régua e leia o comprimento marcado no fio.
4. Veja tabela abaixo para saber o número equivalente ao seu dedo
Exemplo:
Você mediu 5,70 cm = número do aro: 17
Veja a sua medida5,00 cm equivale ao número = 10
5,20 cm equivale ao número = 12
5,40 cm equivale ao número = 14
5,60 cm equivale ao número = 16
5,80 cm equivale ao número = 18
6,00 cm equivale ao número = 20
6,20 cm equivale ao número = 22
6,40 cm equivale ao número = 24
6,60 cm equivale ao número = 26
6,80 cm equivale ao número = 28
7,00 cm equivale ao número = 30
7,20 cm equivale ao número = 32
7,40 cm equivale ao número = 34
7,60 cm equivale ao número = 36
7,80 cm equivale ao número = 38
8,00 cm equivale ao número = 40

Jóia é um bom presente de natal para as adolescentes

Presentear pode não ser tão simples assim, principalmente adolescentes, que já sabem o que querem e não é qualquer coisa que os satisfaz. Se for menina é mais complicado ainda.
Já enfrentei muitas dificuldades com isso, mas também já aprendi a lição. A dificuldade foi até quando me ensinaram que para menina adolescente jóias são sempre bons presentes. Por mais que elas possuam, uma nova sempre faz a diferença.
Perfumes somente se conhecermos bem a pessoa, caso contrário o investimento pode não resultar em nada ou até no lixo.
Mas com essa crise somente começando, muitos vão ganhar caixinhas de bom-bons ou nada.

O relógio de pulso na nossa vida

O relógio de pulso é talvez um dos objetos mais usados pela população. Seja homem ou mulher, todos usam diariamente.
Tornou-se um hábito e quando estamos sem ele parece que estamos sem cabeça. Mesmo quando nossa atividade do momento não requer tal uso, não ficamos sem ele. Parece que ficamos desgovernados sem o implacável controle do horário.
Surgiram os mais variados tipos e modelos. Primeiro eram os relógios de corda, que os mais novos nem acreditam que existiram. Depois da criação dos relógios a bateria elétrica, já não temos mais o problema de nos esquecermos de dar corda e perdermos os horários dos nossos compromisso.
Conheci até lenhador que trabalhava com o relógio no pulso. Pessoas que dormem ou tomam banho com ele é muito normal também.
Ficamos escravos do horário e quando não precisamos usar o relógio e por opção prescindimos do mesmo, saímos da rotina e isso nos faz muito bem.

Diamante : quilates, pureza, cor, formas, dureza.

O carbono é um dos elementos mais comuns no mundo e é um dos quatro princípios básicos para a existência da vida. Os seres humanos contêm mais de 18% de carbono em seu corpo, e o ar que respiramos contém traços de carbono. Quando ocorre na natureza, o carbono existe em três formas básicas:
diamante – um cristal extremamente duro e claro;
grafite – um mineral preto e macio, feito de carbono puro. Sua estrutura molecular não é tão compacta quanto a do diamante, por isso é mais fraco;
fulerite – um mineral feito de moléculas perfeitamente esféricas, consistindo de exatamente 60 átomos de carbono. Esta alotropia foi descoberta em 1990.
O diamante é sinônimo de poder, riqueza, segurança e beleza. Se formam a aproximadamente 161 km abaixo da superfície da Terra, na rocha derretida do manto da Terra, que proporciona a pressão e o calor adequados para transformar carbono em diamante. Para que um diamante seja criado, o carbono deve estar embaixo de, pelo menos, 435.113 libras por polegada quadrada (psi ou 30 kilobars) de pressão a uma temperatura de, pelo menos, 400º C. Se as condições estiverem abaixo destes dois pontos, será formado o grafite. Em profundidades de 150 km ou mais, a pressão vai para 725.189 psi (50 kilobars) e o calor pode exceder 1.200º C.
A maioria dos que vemos hoje foram formados há milhões (ou até bilhões) de anos. Poderosas erupções de magma trouxeram os diamantes até a superfície, criando chaminés de kimberlito, que é um nome escolhido em homenagem a Kimberly, África do Sul, onde estas chaminés foram encontradas pela primeira vez. A maior parte destas erupções ocorreu entre 1.100 milhões e 20 milhões de anos atrás. As chaminés de kimberlito foram criadas conforme o magma passava por profundas fraturas na Terra. O magma de dentro da chaminé de kimberlito funciona como um elevador, empurrando os diamantes e outras rochas e minerais pelo manto e crosta em poucas horas. Estas erupções eram breves, mas muitas vezes mais poderosas do que erupções vulcânicas que acontecem atualmente. O magma destas erupções foi originado em profundidades três vezes mais profundas do que a fonte de magma nos vulcões. Com o tempo, o magma esfriou dentro das chaminés de kimberlito, deixando para trás as veias cônicas da rocha de kimberlito que contêm diamantes. Kimberlito é uma rocha azulada que os mineradores procuram quando estão atrás de depósitos de diamantes. A área da superfície das chaminés de kimberlito que contêm diamantes variam de 2 a 146 hectares.
Também podem ser encontrados em leitos de rios, chamados de reserva aluvial de diamantes. São originados em chaminés de kimberlito, mas se movimentam por atividade geológica. Geleiras e águas podem movimentar os diamantes para milhas de distância de seu local de origem. Hoje, a maioria dos diamantes é encontrada na Austrália, Brasil, Rússia e vários países africanos, incluindo Zaire. São encontrados como pedras brutas e devem ser processadas para se transformarem em pedras brilhantes, prontas para venda.
Todas as minas deste mineral, com exceção de algumas na Namíbia, produzem mais diamantes industriais do que gemológicos (aqueles usados em jóias). São vários os usos para os diamantes industriais, como na perfuração de poços de petróleo; nas brocas usadas por dentistas para furar dentes; ferramentas de corte; bisturis usados na medicina, principalmente na indústria oftalmológica que exige muita precisão no corte; para fabricação de termômetros especiais, pois nada transmite calor tão rápido e tão bem quanto o diamante, e também é estável em temperaturas de aproximadamente 800 graus Celsius.
Quando se fala em ouro ou diamantes e pedras preciosas, para expressar o seu valor, logo surgem as palavras quilate ou kilate, que poucos sabem o que significam. Muitas pessoas confundem quilate com kilate. “Quilate” abrevia-se “ct.” se refere ao peso dos diamantes, enquanto “Kilate” abrevia-se “K” se refere à pureza do ouro. Ex.: 18K ( ouro 18 kilates).
Um quilate é uma unidade de peso para diamantes e outras pedras preciosas. Um quilate é igual a 200 miligramas (0,200 grama, o que equivale a dizer que 1 grama = 5 quilates). Há 1.000 gramas em 1 quilograma (kg). São portanto 5.000 quilates por kg (se você pesa 70 kg, você tem 350.000 quilates). O termo quilate (em inglês = carat) é derivado da palavra “carob” . São sementes que têm pesos incrivelmente parecidos umas com as outras e então eram usadas pelas civilizações antigas para calcular o peso dos diamantes. Uma semente equivalia a 1 quilate. Um quilate é dividido em 100 pontos, de forma que um diamante de 75 pontos pesa 0,75 quilates. 1 quilate = 0,2 gramas. Dois diamantes de pesos iguais podem no entanto ter preços diferentes, dependendo de sua lapidação, pureza e cor.
Quando se refere ao ouro, o Kilate é uma unidade de pureza. Ouro 24 Kilates é ouro puro. Geralmente, o ouro é misturado com metais como o cobre ou prata para fazer jóias, porque o ouro puro é muito mole. Cada Kilate indica 1/24 do todo. Se uma jóia é feita de metal que tem 18 partes de ouro e 6 partes de cobre ela é de ouro 18 quilates. De onde veio essa unidade de pureza tão engraçada? Acontece que uma moeda de ouro alemã chamada marco era comum há cerca de mil anos. Ela pesava 24 Kilates (4,8 gramas). A pureza do ouro na moeda foi expressa com o número de Kilates de ouro presente nessa moeda de 24 Kilates.
Quando se vai adquirir uma jóia de diamante temos 4 princípios importantes, que são o corte, claridade, quilate e cor.
A pureza é algo também muito importante na hora de comprar seu diamante e pode ser analisada por dois tipos de defeito :
Defeitos Externos : Seria qualquer impureza na superfície do diamante, vêm do uso, com leves batidas que podem ser dadas com um anel no dedo ou mesmo algum defeito causado durante a lapidação.
Defeitos Internos : Seria qualquer das muitas impurezas encontradas no interior de um diamante. Há muitos tipos de defeitos internos.
A classificação da Pureza é algo muito importante. A lente usada na classificação é uma lente de 10X, podendo ser de mão ou um microscópio. Qualquer inclusão que não possa ser enxergada com uma lupa de 10X não “existe” para efeitos de classificação.
A escala de pureza está em inglês, pois foi padronizado pelos americanos :
IF- Internally Flawless – Internamente puro (e externamente, também)
É a classificação mais alta dada a uma pedra.
VVS1 e VVS2 – Very very slightly included – Inclusões muito, muito leves. Uma inclusão VVS é muito difícil de ser detectada com uma lupa de 10X, mesmo por um examinador experiente.
SI1, SI2 e SI3 – Slightly included – Inclusões leves. A maioria das pedras compradas hoje são desse grupo. Uma inclusão SI é facilmente detectada com a ajuda de uma lupa de 10X.
SI1 – Uma inclusão SI1 é facilmente detectada com a ajuda de uma lupa de 10X, mas não pode ser vista a olho nu.
SI2 – Uma inclusão SI2 é facilmente detectada com a ajuda de uma lupa de 10X. Raramente pode ser vista a olho nu.
SI3 – Uma inclusão SI3 é facilmente detectada com a ajuda de uma lupa de 10X. Na maioria dos casos (pedras acima de 0,75 cts), pode ser vista a olho nu.
I1, I2 e I3 – Imperfect – Imperfeitos, defeituosos. Esse é o último grupo na escala de classificação de diamantes:
I1- Uma inclusão I1 pode ser vista a olho nu, mas ainda é agradável aos olhos. A inclusão não é grande o suficiente para tirar o brilho da pedra.
I2 – Uma inclusão I2 pode pegar uma porção substancial da pedra podendo ser facilmente vista a olho nu.
I3 – Uma inclusão I3 está muito próxima de ser considerada uma pedra de “rejeito” isso significa que uma porção tão grande da pedra tem defeito que ela perde todo seu brilho ficando apagada, perdendo toda “vida”. Qualquer pedra abaixo de I3 seria considerada para uso industrial do diamante.
Outra propriedade importante é a cor. A maioria dos diamantes têm um quase imperceptível toque de amarelo ou marrom, até os mais raros: cor-de-rosa, azuis e verdes que são conhecidos como “Fancy Color”. Os mais procurados no entanto são os totalmente incolores.
Quando é encontrado na natureza ainda está no seu estado bruto e será lapidado onde ganhará forma comercial. As mais comuns no mercado hoje de acordo com seu valor relativo são: Redonda, Oval, Coração, Navete e Gota. Estas formas são determinadas pelos profissionais da lapidação, que são o clivador ou serrador. Ambos, essencialmente, fazem o mesmo serviço, cortar ou clivar o diamante em dois pedaços para determinar o melhor aproveitamento da pedra.
Diamantes são a forma cristalizada do carbono, criados sob extremo calor e pressão. É este mesmo processo que faz do diamante o mineral mais duro que conhecemos. A classificação do diamante é 10 na escala de Mohs. Pode ser mais de 10 vezes mais duro do que um mineral com classificação 9 na mesma escala, como o coríndon. Coríndon é uma classe de minerais que inclui rubis e safiras.
É a estrutura molecular dos diamantes que os torna tão duros. São feitos de átomos de carbono conectados em uma estrutura treliçada. Cada átomo compartilha elétrons com outros quatro átomos, formando uma unidade tetraédrica. Esta união tetraédrica de cinco carbonos forma uma molécula incrivelmente forte. O grafite, outra forma de carbono, não é tão forte quanto o diamante porque os átomos de carbono no grafite se conectam em forma de anéis, onde cada átomo é apenas ligado a um outro átomo.
Escala de Mohs é uma escala relativa de dureza desenvolvida em 1812 pelo mineralogista alemão Frederich Mohs (1773-1839). Este selecionou dez minerais considerados por ele os mais comuns. Não é uma escala linear, na medida que as diferenças de dureza entre os minerais contíguos não se mantém constante. No entanto, pela facilidade de uso é, até hoje, de uso rotineiro em Mineralogia.
Escala de Mohs
Dureza – Mineral – Fórmula Química
1   – Talco         – Mg3Si4O10(OH)2
2   – Gipsita      – CaSO4.2H2O
3   – Calcita       – CaCO3
4   – Fluorita     – CaF2
5   – Apatita      – Ca5(PO4)3(OH,F,Cl)
6   – Ortoclásio – KAlSi3O8
7   – Quartzo     – SiO2
8   – Topázio     – Al2SiO4(F,OH)2
9   – Coríndom – Al2O 3
10 – Diamante – C
Parâmetros úteis para uso da Escala de Mohs
Dureza – Objeto
2,5       – Unha
3,0       – moeda de cobre
5,5       – Lâmina do canivete
5,5 a 6 – Vidro
7          – Porcelana
9,1       – Ponta de vídia

Os cuidados no uso e no armazenamento de jóias.

Se você possui uma em ouro, prata, diamante ou pedra preciosa de alto valor então terá que saber usá-la e também ter os devidos cuidados, para que ela possa realmente representar o seu devido valor.
O cuidado começa com o uso correto. Saber quando colocar e quando tirar é muito importante. Coloque-as após colocar a maquiagem, perfume ou spray para os cabelos. Toque-as o quanto menos for possível, já que o óleo da pele pode acumular nas pedras e ouro, dando uma aparência “apagada”. Tire-as caso vá fazer qualquer trabalho manual, incluindo atividades domésticas. Uma pulseira pode facilmente quebrar se enganchar em algo. Pedras preciosas e diamantes podem lascar ou quebrar se bater contra uma superfície dura. Outro perigo são os solventes químicos usado para limpeza em geral que não são bons para limpar nenhum tipo de jóia.
Se você usar brincos, geralmente é melhor tirá-los quando for no cabeleireiro, assim a escova não pegará nos mesmos. Se você é destra, pense em usar pulseiras e relógios no braço esquerdo pois este é menos usado. Faça o oposto se for canhota.
Ao guardá-las você também deve tomar alguns cuidados. Elas são vulneráveis quando em uso, mas também podem sofrer danos se não forem guardadas de maneira apropriada. O diamante é a substância mais dura da Terra, porém pode ser riscado por um outro diamante. As jóias com diamantes também podem riscar outras pedras menos duras, até mesmo o ouro ou a platina. Por esta razão, é importante guardá-las de maneira que não tenham contato umas com as outras. Envolva cada uma individualmente em um lenço ou pano fino ou coloque-as em compartimentos distintos em seu porta-jóias. Geralmente elas vêm em uma caixinha especial ou saquinho. Guarde-os; eles sempre são utilizados na hora de guardar suas jóias com segurança, além de evitar as sujeirinhas.
Para melhores cuidados o ideal seria levá-las para uma limpeza profissional pelo menos uma vez por ano, assim também aproveitaria para dar uma olhada profissional para ver se alguma pedra está meio solta ou alguma garrinha amassada. No entanto nesse meio tempo há coisas que você mesmo pode fazer.
Para diamantes, use uma escova macia que não seja de metal com um pouco de amoníaco suave misturado a água. Delicadamente remova qualquer sujeirinha, principalmente nas garras onde costuma acumular partículas. Mesmo que pareça estar limpo ele pode ter uma fina camada de óleo da pele e brilhará muito mais depois de uma limpeza. Evite tocá-lo o tanto quanto possível.
Para limpar outras pedras preciosas (ametista, safira, esmeralda, tanzanita etc.) é bem fácil. Simplesmente coloque-as num recipiente com água morna com sabão deixando por uns 20 minutos e então use uma escova não metálica macia para remover qualquer sujeirinha. Se você usar um produto específico para limpeza de jóias certifique-se de que ele não seja abrasivo. Não use produtos químicos fortes e nunca as limpe sobre a pia, normalmente elas acabam “entrando pelo cano”.
Se for de ouro você pode usar álcool para dissolver alguma sujeira mais persistente, embora a maior parte das sujeirinhas saiam com água e sabão e uma escovinha delicada, tem que ser bem delicada para não riscá-la. Depois de limpa basta passar um paninho que não solte pelos para dar de volta o seu brilho.

Adornos e Jóias. Ouro, prata, diamante, pedras preciosas.

Desde a pré-história, o homem usa objetos como acessórios. Primeiramente, eram feitos de seixos e ossos e se revestiam de um significado rústico-religioso. Muitas vezes, serviam como talismã e eram usados por homens e mulheres.
Alguns tipos de mensagens são transmitidas e podem variar entre sua própria constituição; funções práticas; modos de uso; valores estéticos; significados enquanto signos de uma gramática visual culturalmente estabelecida; significados ideológicos.
Aos poucos, deixaram de ter um significado apenas simbólico e passaram a ser considerados enfeites. Assim chegou-se às chamadas jóias, que foram se aperfeiçoando até chagarem aos dias de hoje.
Para alguns povos, em várias fases de nossa história, a importância disso era possuir algo incomum, um valor que significasse uma grande dificuldade de obtenção, uma pena de um pássaro raro ou até a orelha de um inimigo. Poderia tanto ver no adereço do Rei seu poder, em muito ouro ou pérolas, significar a conquista de outras terras, assim como o adereço do guerreiro significando sua história de coragem. A joalheria sempre acompalhou a nobreza, foi inacessível à plebe por milênios. Os egípicios, os romanos, a nobreza européia e até nos nosssos dias.
Desde antes de Cristo já existem registros históricos do seu uso e até mesmo os Reis Magos o presentearam, quando o visitaram na ocasião de seu nascimento. São muitos os registros e referências bíblicas sobre o seu uso.
Ela carrega, também, concepções e valores resultantes da leitura do designer sobre a cultura e a sociedade a que pertence. Alguns tipos de mensagens transmitidas por esses acessórios, podem variar entre sua própria constituição; funções práticas; modos de uso; valores estéticos; significados enquanto signos de uma gramática visual culturalmente estabelecida; significados ideológicos. Carregados de potencial e efeitos semióticos, elas têm uma significação que vai além de seu caráter utilitário e de seu valor comercial. Esta significação consiste largamente em sua habilidade em carregar e em comunicar significado cultural. Este significado é incorporado com a ajuda de designers e assim vão surgindo as novas tendências de modas e desta forma taduzindo o estágio cultural da sociedade.
Muitos são os produtos usados na confecção, mas o ouro, diamante, prata, pérola e as pedras preciosas foram sempre os mais utilizados, quer seja pela beleza, pela sua durabilidade, pela sua raridade e valor. Devido o alto custo destes produtos e o crescente desenvolvimento tecnológico, foi possível substituí-los por produtos que os imitam e se tornaram acessíveis às pessoas de menos posses, são as semi-jóias, as bijouterias. Hoje, as técnicas para confecção de jóias em diferentes estilos e modelos estão aprimoradas e encontram-se as peças mais belas e sedutoras.
O ouro exerce atração sobre o homem desde a época da descoberta dos metais. Os egípcios usaram-no, tanto na fabricação de objetos rituais como na douração de sarcófagos e no adorno do mobiliário dos faraós. Na Antiguidade e na Idade Média, as minas de ouro e prata eram escassas e muitos escultores e pintores famosos, principalmente na Renascença, iniciaram seu aprendizado artístico nas oficinas de ourives. O ouro não perde a cor ou enferruja e embora seja bastante forte é também o mais maleável dos metais.
Além do ouro e da prata muito usados na sua confecção há também o diamante e as pedras preciosas, chamadas gemas. As gemas, utilizadas como objetos de decoração, adornos pessoais e até mesmo como amuletos da sorte ou de magia, fascinam o homem desde seus primórdios, com seu brilho, sua cor, sua raridade e até mesmo aqueles mistérios que as envolvem quanto aos seus poderes esotéricos. As mais famosas são a Água-Marinha, Ametista, Rubelita, Topázio, Turmalina, Citrino, Iolita, Peridoto, Berilo, Crisoprásio, Cristal, Esmeralda, Granada, Ônix, Quartzo Rosam, Rodolita, Safira, Rubi, Tanzanita, Alexandrita. A safira apareceu pela 1ª vez na Arábia. Seu nome deriva do Hebraico Sappilir, que significa “a coisa mais bela”.O Brasil é considerado uma das maiores províncias geomológicas do mundo. No solo brasileiro estão presentes todos os tipos existentes na crosta terrestre. Água-marinha, Esmeralda, Topázio, Turmalina e Diamante são as pedras preciosas mais encontradas.
O Diamante (do grego adamas) que significa invencível e sugere a força e a eternidade do amor. Os antigos chamavam-no de pedra do sol devido ao seu brilho fascinante. São extraídos em várias partes do mundo, mas 80% das pedras no mercado hoje vêm da Angola, Austrália, Botswana, Namíbia, África do Sul, Rússia e Congo. O Brasil produz menos de 1% da produção mundial. Com todas essa fontes dá a impressão de se ter grande disponibilidade, mas não é o caso. São necessárias mais de 250 toneladas de cascalho para se extrair um quilate do mesmo. Além do mais somente por volta de 20% de todos o extraídos são gemológicos, o restante vai para a indústria. Todas as minas, com exceção de algumas na Namíbia, produzem mais industriais do que gemológicos (aqueles usados em jóias). São vários os usos para os fins industriais: perfuração de poços de petróleo; nas brocas usadas por dentistas para furar dentes; ferramentas de corte, como o vidro; bisturis usados na medicina, principalmente na indústria oftalmológica, que exige muita precisão no corte e muitas mais.
Quando se fala em ouro ou diamantes e pedras preciosas, para expressar o seu valor, logo surgem as palavras quilate ou kilate, que poucos sabem o que significam. Muitas pessoas confundem quilate com kilate. “Quilate” abrevia-se “ct.” se refere ao peso dos diamantes, enquanto “Kilate” abrevia-se “K” se refere à pureza do ouro. Ex.: 18K ( ouro 18 kilates).
Um quilate é uma unidade de peso para diamantes e outras pedras preciosas. Um quilate é igual a 200 miligramas (0,200 grama, o que equivale a dizer que 1 grama = 5 quilates). Há 1.000 gramas em 1 quilograma (kg). São portanto 5.000 quilates por kg (se você pesa 70 kg, você tem 350.000 quilates). O termo quilate (em inglês = carat) é derivado da palavra “carob” . São sementes que têm pesos incrivelmente parecidos umas com as outras e então eram usadas pelas civilizações antigas para calcular o peso dos diamantes. Uma semente equivalia a 1 quilate. Um quilate é dividido em 100 pontos, de forma que um diamante de 75 pontos pesa 0,75 quilates. 1 quilate = 0,2 gramas. Dois diamantes de pesos iguais podem no entanto ter preços diferentes, dependendo de sua lapidação, pureza e cor. Os “4 princípios do diamante” são corte, claridade, quilate e cor.
Quando se refere ao ouro, o Kilate é uma unidade de pureza. Ouro 24 Kilates é ouro puro. Geralmente, o ouro é misturado com metais como o cobre ou prata para fazer jóias, porque o ouro puro é muito mole. Cada Kilate indica 1/24 do todo. Se uma jóia é feita de metal que tem 18 partes de ouro e 6 partes de cobre ela é de ouro 18 quilates. De onde veio essa unidade de pureza tão engraçada? Acontece que uma moeda de ouro alemã chamada marco era comum há cerca de mil anos. Ela pesava 24 Kilates (4,8 gramas). A pureza do ouro na moeda foi expressa com o número de Kilates de ouro presente nessa moeda de 24