Category Archives: Oportunidades

Estágio profissional para universitários

Quando o jovem está para concluir o ensino de segundo grau, fica com a cabeça em conflito, pois nem todos já tem nesse período decidido sobre fazer ou não um curso universitário e qual destino escolher.
Depois que entram na faculdade, muitos se acomodam e acham que só o diploma já lhes garantirá o futuro. Grande engano.

É necessário que o estudante universitário tenha em mente que só o diploma não é suficiente para o sucesso da sua carreira e que deve procurar experiência desde cedo, ainda quando estudante.

Por isso deve procurar estágio em empresas, que hoje já é regulamentado por lei. Um bom estágio lhe dará experiência e ensinamentos de como lidar com certas situações, que defrontará quando já for um profissional e estiver assumindo responsabilidades.

Muitas empresas fazem dos estágios verdadeiras escolas para preparar e especializar a mão de obra que utilizarão, de acordo com seus fundamentos. Algumas chegam a aproveitar em seus quadros mais de 60 % dos estagiários utilizados.

Na verdade o estágio é um elo entre a faculdade e a vida real profissional, onde se pode aliar a teoria com a prática.

Algumas dicas para conseguir um emprego

Em época de grande crise e a mídia “bombando” em todo momento notícias de demissões em massa, torna-se preocupante e mais difícil uma colocação no mercado de trabalho. Quem já tem alguma experiência também não está encontrando facilidade, pois igual e até melhor que ele tem muitos, vindos da grande massa de demitidos. Os que vão entrar no mercado de trabalho podem encontrar ainda maiores dificuldades.
Como conseguir então um emprego? Realmente os dias de hoje estão muito mais complicados que um passado bem recente. Qualquer que seja o emprego hoje em dia, exige-se alguma qualificação e um diferencial e isso só é possível se o candidato tiver um mínimo de escolaridade necessária para a vaga em questão.
Até para porteiro de condomínio ou empregada doméstica já está se exigindo pelo menos o ensino fundamental e algum conhecimento de informática. Além do ensino com as disciplinas normais, hoje em dia há o analfabeto digital, que o mercado de trabalho também está rejeitando.

Só espalhar um monte de currículos por todos os lados não basta. A pessoa deve ao longo de sua vida profissional não se descuidar dos contatos com outros colegas relacionados com sua formação e aptidões e sempre estar se reciclando e se atualizando. No mundo corporativo globalizado dos dias atuais é imperioso o conhecimento de pelo menos uma segunda língua. O trabalho em equipe é moda e o relacionamento é tudo para que isso seja possível. Uma pessoa muito fechada, egoísta, que se isola, não consegue espaço hoje em dia nas empresas. Há de se ter relacionamento até nas atividades fora do serviço, como festas, esportes, encontros e outras.

Por ocasião de uma entrevista o candidato deve demonstrar identificação com a empresa e grande interesse pela vaga. Salientar suas virtudes e aptidões relacionadas com as atividades a serem desenvolvidas naquele cargo. Deve demonstrar sua facilidade de integração com os outros componentes da corporação, para somar esforços em prol do objetivo comum. Mostrar-se responsável e ir para a entrevista trajando-se adequadamente e condizente com a vaga e o cargo ofertado é fundamental.
O candidato a uma vaga deve estar informado da faixa de salário do mercado na região, para não exigir o que não se paga e desta forma jogar fora a chance de entrar na organização, onde poderá mostrar seu potencial e futuramente alcançar seus objetivos.

Hoje em dia não basta pegar um diploma e sair por aí achando que vai conseguir uma colocação com facilidade. Durante seus anos de estudos é uma época adequada para fazer variados estágios e dessa forma se tornar mais versátil e experiente. Normalmente as empresas recrutam um ex-estagiário, que já está treinado e integrado com os demais componentes da equipe, bem como familiarizado com os problemas da empresa.

Enfim, os dias atuais se tornaram bem mais competitivos e a pessoa comodista vai ficar de fora mesmo!

Área de alimentação não para na crise

A crise parece mesmo ter se instalado no mundo todo e promete ficar por alguns anos. Todos estão muito apreensivos. Uns preocupados em manter seus empregos, outros em manter suas fortunas.
O mundo precisa de ajustes. Ajustes em diversos setores. Os valores andam invertidos. Talvez a extravagância tenha encontrado seu limite.
Porém em qualquer crise nem tudo vai mal. Algum setor sempre encontra suas oportunidades e acaba se saindo bem.
Nessas horas o melhor mesmo é escutar a voz da experiência. Meu pai, ainda moço e tentando fazer a vida, tentou de tudo, até motorista em época que nem estradas existiam ele foi. Até que em suas andanças por esse mundo, um senhor com alguma experiência de vida já acumulada lhe disse : “setor de alimentos não perece em nenhuma crise, pois a cada dia mais gente vêm ao mundo e todos precisam de comer e beber”.
Como ele era daqueles que respeitava os mais velhos, procurou interpretar melhor esse ditado. Foi quando ele investiu por esse rumo. Sem nada no bolso para começar, porém com muita determinação, iniciou como industrial no ramo de alimentos. Não fez grandes fortunas, porém atravessou varias crises e em cada uma ele verificava que seus negócios melhoravam.
Concluímos que o ramo de alimentos, se não melhora, pelo menos não perece nas crises.

A aflição dos jovens na escolha do curso e da profissão na época do vestibular

Todos os anos, quando se aproximam as inscrições para os vestibulares das diversas faculdades do país, quem convive com a juventude sabe do dilema que eles vivem. A família toda, incluindo os amigos, entram nesta aflição. Poucos chegam nesta idade com seu rumo traçado.
Porque ainda não tiveram todo o programa escolar, eles ainda não podem se conhecer a si próprios e ficam indecisos. Muitos escolhem os cursos motivados por status ou por imposição dos pais, parentes ou amigos, sem mesmo analisar se vem ao encontro de suas aspirações.
Os pais podem ter papel fundamental nesta hora, orientando seus filhos sobre cada profissão, seus lados bons e ruins, vantagens e desvantagens, porém não devem interferir na decisão, pois curso bom é o curso que mais se identifica com a pessoa, independente de qual é esse curso.

Compras pela internet. É fácil e perigoso também

A internet tomou conta de todos os ramos de atividades. Nas comunicações substitui com vantagens a mídia escrita. Substituiu também em grande parte os serviços de correios e de bancos. Já se apodera do ramo de telefonia também. No ramo de vendas já exerce expressiva presença.
Mas junto com essas vantagens vieram os problemas. Temos ouvido quase todos os dias sobre a atuação de quadrilhas através da internet. Tentam instalar programas para captar dados do usuário, com finalidades criminosas.
As compras também têm sido um grande problemas, se o interessado não tomar todas as precauções, como se certificar da idoneidade do vendedor.
Onde há facilidade, logo se instala a criminalidade !

Agenciamento de jovens atletas em potencial. Um grande negócio

A supervalorização de alguns atletas, jogadores de futebol, no mercado europeu principalmente, faz com que muitos jovens brasileiros apostem tudo. Muitos deixam até de estudar e buscam de todas as maneiras um espaço neste restrito mercado.
Muitas dificuldades eles encontram, pois é um mundo muito concorrido e por vezes até desleal, além de seu alto risco. Uma contusão séria, à qual estão sujeitos a todo tempo, pode não só interromper seus sonhos como modificar toda sua vida, porque sem estudo e inválidos para outros trabalhos, terão grandes dificuldades no mercado de trabalho.
Normalmente quando o jovem apresenta algum potencial os clubes querem investir nele, mas a lei Pelé trás grandes dificuldades, que podem criar um grande atleta e depois perder todos os investimentos. Surgem então os empresários espertos, que antes dos clubes fazem os contratos e travam toda a carreira deste jovem, se ele não tiver paciência e cabeça no lugar sua carreira morre cedo.
Na verdade na maioria das vezes quem sai ganhando são só os empresários, verdadeiros atravessadores.

A eletrificação rural e os seus benefícios

Poucas vezes paramos para analisar os benefícios que a energia elétrica trouxe em nossas vidas. A iluminação pública, a iluminação em nossas casas, o nosso banho com chuveiro elétrico, a conservação de alimentos em nossas geladeiras, os fornos elétricos, microondas, liquidificadores, batedeiras, secadores de cabelos, os aparelhos de som, televisões, computadores, etc.
Há 40 anos atrás, nas cidades do interior, a iluminação pública e das residências era muito precária. Motores diesel ou pequenas usinas em represas de alguns rios acionavam os geradores. As indústrias eram acionadas também por motores diesel ou máquinas a vapor, como nas madeireiras do interior ainda ocorre.
Porém nos últimos anos a eletrificação rural levou o progresso ao interior. O morador do sítio hoje tem todos os confortos do morador urbano e está tão informado quanto ele.
Pena que esta maravilha que é a energia elétrica, cuja geração no Brasil tem sido feita através da maneira mais limpa, que são as usinas hidroelétricas, já está se tornando escassa e em breve poderemos até ter o chamado “apagão elétrico”, caso novas fontes são sejam buscadas, como a eólica, a solar e outras menos limpas.

A necessidade do estudo no mercado de trabalho

Quando eu era criança eu ouvia de meu pai que eu teria que estudar, pois com deficiência em um braço não poderia viver de trabalho pesado e braçal. De tanto ouvir repetidamente seus conselhos me dediquei muito na escola e também de maneira autodidata, pois nossas condições financeiras nunca foram das melhores. Os conselhos não poderiam ter sido melhores.
Os tempos se passaram e esses conselhos se tornaram mais válidos que nunca. Hoje em dia nem trabalho braçal se consegue se a pessoa não tiver estudo. Tudo tende para a automatização, aperta-se botão aqui e ali, painéis cada vez mais sofisticados são impostos em qualquer tipo de trabalho. Se a pessoa nem ler direito sabe ela não poderá fazer mais nada.
Lembro com muita tristeza de um dia, quando em meus trabalhos de consultorias técnicas, estava fazendo um levantamento de máquinas em um pátio de leiloeiro. Da sede administrativa um funcionário telefonou para o guardião que estava no pátio, para ele separar, limpar e preparar dois veículos, que iriam ser colocados no leilão. Esse senhor me procurou então desesperado e quase chorando, pedindo que o ajudasse identificar os veículos, pois ele não sabia sequer ler as placas e não podia perder o emprego, tinha duas lindas crianças para criar e com muita dificuldade tinha conseguido esse trabalho. Isso me cortou o coração. Ajudei esse senhor na identificação e como eu tinha boa amizade com seu patrão, convenci o mesmo a mantê-lo no emprego e ajudá-lo a resolver esse problema. O seu patrão não só o manteve no emprego como o ajudou a ingressar numa escola. Algum tempo depois esse senhor exibia com orgulho seus conhecimentos e estava muito feliz por ter descoberto as maravilhas de saber ler e escrever e se tornara um dos mais eficientes funcionários, além de ser eternamente grato a mim e ao seu patrão. Foi como se tivesse salvado sua alma.
Outro dia um amigo meu estava admitindo dois funcionários para a empresa dele, para trabalhos braçais de organização e armazenamento de caixas no estoque. A exigência era de no mínimo possuir o segundo grau completo, pois ele não suportava mais os erros dos outros sem estudo. Teve que pagar um salário melhor e encontrou um monte de candidatos.

A necessidade de se conhecer mais que um idioma

Com a facilidade tecnológica atual, que tornou a comunicação mais rápida e instantânea, o mundo se tornou pequeno. A globalização é uma realidade, no mundo dos negócios, culturas, ciências, esportes e todas as outras atividades.
Chegará um momento que as culturas se fundirão e será uma só, tal a influência e divulgação de uma sobre a outra. Talvez se fale uma só língua no mundo. Mas enquanto isso não chega, quem quiser se sair melhor tem a necessidade de dominar mais que seu próprio idioma. Os estudantes de hoje tem que aprender pelo menos mais um idioma, entre os mais populares do mundo, que até pouco tempo eram inglês, francês ou espanhol, mas agora se deve colocar também o chinês.

Qual é o melhor investimento atual no Brasil ? Investir em linhas telefônicas, carro, dólar, poupança ou imóvel ?

Nos últimos anos o mais normal é se falar em crise, dificuldades, baixos salários e falta de dinheiro entre os brasileiros. Porém há os que não estão assim. Uma pequena classe, privilegiada, muito tem faturado nesse tempo. Há também os que foram para outros países e estão mandando os rendimentos para serem investidos por aqui.
Alguns anos atrás, quando a inflação ainda era com mais de dois dígitos, para se preservar o pouco que se ganhava, as pessoas faziam alguns investimentos, como comprar linhas telefônica, investir em dólares, investir em carros, cadernetas de poupança e outras aplicações financeiras e imóveis.
Mas qual tem sido o melhor investimento ultimamente? As coisas mudaram e hoje o pequeno investidor não pode mais contar com aquilo do passado.
Para o grande investidor não faltaram opções e até melhorou muito. Os bancos nunca faturaram tanto quanto no governo do Lula. Nesta última sexta-feira ( 29.02.2008 ) um dos maiores investidores mundiais, que guardava a sete chaves o segredo de seus investimentos, anunciou que faturou como nunca investido desde 2002 na moeda REAL. O Brasil tem sido um paraíso para capitais internacionais, mas basta endurecer um pouco que eles voam fora. São capitais voláteis.
Acho que para os pequenos só restou a aplicação em alguns imóveis e ainda assim não é qualquer um, pois temos os altos impostos; as invasões urbanas, que podem desvalorizar um imóvel nas imediações; as conservações necessárias, que custam bastante; as invasões rurais, que tem sido incentivadas pelo governo atual, que até está propondo contar o tempo de invasão como tempo útil ao invasor na contagem de tempo de serviço para se aposentar, tudo para ser pago pelo trabalhador honesto deste país.
Elegeram agora agüentem !!!