Category Archives: Pesquisas

Algas na alimentação humana.

Os orientais há muitos anos já incluíram as algas na sua alimentação. Aqui no Brasil isso ainda não virou tradição, porém cada vez mais, através da culinária oriental, a alga vem sendo apreciada.

Já se conhecem alguns benefícios da alga para o ser humano, mas estudos ainda procuram aumentar esses conhecimentos e com isso esse alimento tende a se popularizar por aqui também.

Cientistas britânicos, da faculdade de New Cafor, descobriram que ela é capaz de aumentar a produção de muco protetor da parede dos intestinos, que facilita a digestão e absorção dos nutrientes.

Eles afirmam que a fibra de algas pode evitar a incidência de câncer e doenças cardiovasculares.

Já se constataram efeitos positivos de extratos de algas na dieta humana, que após processadas em laboratório se obtém composto de carboidrato em pó.

Algas já são utilizadas em espessantes de gelatinas e outros produtos alimentares, além de sua utilização na farmácia e odontologia.

Os cientistas britânicos estão propondo a utilização de uma farinha de alga que possa ser adicionada nos alimentos, inclusive no pão e em carnes, como hamburger.
Novos estudos continuam sendo feitos e cada vez mais serão conhecidos os benefícios da alga na alimentação humana.

Salmão trangênico

A luta contra os produtos agrícolas trangênicos continua em todo mundo, porém cada vez mais eles avançam.

Dizem que eles são mais resistentes às pragas e dessa forma seriam mais benéficos para o meio ambiente por não usarem agrotóxicos em demasia, porém ainda não são conhecidos os reais resultados sobre a nossa saúde, razão para tantos questionamentos e oposição, além do temor que estas mutações venham a ser prejudiciais e causem sérios danos genéticos às espécies.

Agora esta tecnologia já avança para o mundo animal. Muitas pesquisas estão em andamento no mundo todo. Nos EUA foi anunciada esta semana a liberação para criação e comercialização do salmão trangênico.

Será criado em água doce e, segundo informações dos pesquisadores, leva metade do tempo para se atingir o ponto de abate e comercialização em relação ao salmão da água salgada, que cada vez está mais difícil a sua pesca.

Em breve teremos o porco trangênico, o frango trangênico e assim por diante.

Aparelho para cego conseguir enxergar

O homem é realmente incrível. Está sempre surpreendendo e enganando a própria natureza com suas invenções. Há muitos anos atrás desenvolveu aparelhos para poder enxerga mais longe, como as lunetas e telescópios, que levaram às grandes descobertas do nosso universo ou para poder enxergar coisas muito pequenas, como os microscópios, que também levaram às grandes descobertas principalmente na área da medicina.

Também inventaram os óculos, suprindo as deficiências da visão, depois as lentes de contatos, substituindo os óculos, para quem não quer modificar a sua fisionomia.

Aparelhos para recuperar ou melhorar a audição também foram inventados.
Agora novamente uma nova invenção está sendo noticiada, que promete dar a visão aos cegos. Trata-se de um aparelho, que se parece com um pirulito, que contém vários sensores. Este aparelho recebe de uma câmara, instalada em uma espécie de óculos, as imagens, que são convertidas e transmitidas por fios, em forma de pulsos elétricos, até aquele “pirulito”, que colocado na língua esta consegue transmitir para o cérebro e decifrar as imagens.

Isto está sendo testado nos EUA em um soldado que perdeu a visão pela explosão de uma granada na guerra do Iraque.

Isto será incrível. A língua substituindo os olhos!

A cura da Aids com transplante da medula óssea

A aids, que tanto tem assustado o mundo todo nos últimos anos, parece perder força como doença mais perigosa, deixando ainda o câncer no topo do ranking.
A cada dia que se passa, com a dedicação intensa dos pesquisadores da área da saúde, descobrem-se medicamentos e tratamentos que geram grande expectativa para se debelar esta doença, que nas últimas décadas vem ameaçando toda a humanidade.
Uma das últimas e boas notícias veio da Alemanha, onde um médico diz ter exterminado os vírus do HIV de um paciente, que sofria de leucemia e também era portador do vírus de HIV.

Ao tratar seu paciente de leucemia com o transplante de medula óssea, descobriu que também havia acabado com a presença do vírus do HIV. Segundo o médico, outros casos semelhantes também tiveram o mesmo resultado, aumentando a convicção no tratamento.

Se realmente isto se confirmar, é mais uma porta aberta para se combater esta terrível doença.
Talvez em alguns anos esta doença não se transforme em mais uma das enfermidades parecida com os resfriados!

Como está a vacina brasileira contra a pneumonia?

Entre tantas notícias más que vemos diariamente na mídia, somos surpreendidos de vez em quando com alguma encorajadora.
Uma reportagem na TV, que realmente podemos chamar de interessante, foi sobre o desenvolvimento da vacina brasileira para pneumonia, uma doença antiga, que vitimou muitas pessoas no passado, conhecida como a “doença dos poetas” ainda continua causando suas vítimas nos dias de hoje. Aqui no Brasil as estatísticas indicam que mais de 20.000 crianças morrem por anos por essa doença, sem continuar os idosos e pessoas de meia idade.

A vacina brasileira, que dizem ser muito mais eficiente que a atualmente existente, que é a dos EUA, deverá custar bem menos e não mais que um dólar. Ela está sendo desenvolvida por pesquisadores do Instituto Butantã de São Paulo, já foi testada em animais e agora vai ser testada em humanos para depois ir para o mercado.

Sucesso a esses abnegados pesquisadores!

Plantas podem despoluir os ambientes internos

Todos já sabem que lugares bem ventilados fazem bem à nossa saúde. Em casa, no escritório, em lojas ou em qualquer outro lugar fechado há a existência de várias substâncias voláteis químicas capazes de fazer com que o ar que se respira nesses ambientes seja até dez vezes mais poluído do que o ar externo. Nesses locais há uma forte concentração de elementos altamente poluentes, o que pode ser a causa de alergias e asma, entre outras patologias mais graves.
O engenheiro ambiental Bill Wolverton, ex-pesquisador da Nasa, e autor do livro “Plants: how they contribute to human health and well-being” (“Plantas, como elas contribuem para a saúde e o bem-estar”), com lançamento previsto para abril de 2009 nos EUA, explica que, durante as missões da base espacial Skylab, mais de 100 tipos de substâncias poluidoras foram encontradas dentro das naves espaciais. Com base nisso a U.S. Environmental Protection Agency (EPA – Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos), vistoriou prédios públicos como escritórios, hospitais e creches, e neles identificou mais de 900 poluentes transportados pelo ar. O elemento prevalecente era o formaldeído (formol). Altamente tóxico, esse composto tido como cancerígeno é utilizado em vários materiais de construção e também em móveis, vidros, espelhos, roupas e até no papel higiênico. Além desse gás, as pesquisas revelaram a presença de benzeno, xileno e tricloroetileno, (componentes de tintas, monitores, tapeçarias, fotocopiadoras e cigarros), bem como do clorofórmio (encontrado na água potável), amoníaco, álcool e acetona (carpetes e cosméticos), todos nocivos à saúde.

A solução foi encontrada na própria natureza. Os pesquisadores identificaram várias plantas de fácil cultivo em locais com pouca luz, cujos filtros naturais são capazes de neutralizar a poluição interna. Muitas espécies podem ser utilizadas para esse fim, como a dracena, a samambaia e a babosa, mas as mais eficientes entre as plantas são a palmeiras areca e ráfis, de baixo custo e muito conhecidas por suas qualidades ornamentais.
Embora essas duas espécies se destaquem, o engenheiro americano esclarece que todas as plantas são capazes de remover poluentes transportados pelo ar. Segundo o especialista isso ocorre porque as folhas das plantas podem absorver certas substâncias químicas orgânicas, destruindo-as por meio de um processo chamado colapso metabólico, o que foi provado por um grupo de cientistas alemães que testou o formaldeído com o carbono-14, observando sua absorção e destruição metabólica dentro do clorófito (pigmentação verde). O formaldeído é metabolizado e convertido em ácidos orgânicos, açúcares e ácidos de amido: quando as plantas transpiram vapor de água por meio de suas folhas, elas puxam o ar para as raízes. Isso nutre os micróbios com oxigênio, que consomem as substâncias químicas tóxicas contidas no ar, que lhes servem como fonte de alimento e energia.
Isso todos nós já sabíamos, porém com esses estudos e argumentos científicos, agora podemos ter plantas em nossos ambientes não só como ornamentação.

Planta da Amazônia no combate à dengue

Pesquisadores do Instituto Osvaldo Cruz de São Paulo estão há quatro anos estudando os efeitos de um remédio, feito com substância tirada do caule de uma planta da Amazônia de nome “unha de gato”, para o combate à dengue. Dizem que os estudos estão avançados e prestes a ser utilizado em seres humanos. O tal remédio combate as inflamações e hemorragias provocadas pela dengue.
Fora esta planta eles também estudam outras, que também teriam estas propriedades.
Esta e outras justificam o grande interesse dos estrangeiros pela nossa floresta, sem contar com as riquezas minerais existente em seu subsolo.

Curitiba é mesmo a capital brasileira onde se pratica pouco sexo?

Uma pesquisa recente, feita em 10 capitais brasileiras, para descobrir onde o brasileiro mais praticava o sexo, divulgou neste mês de novembro, que Curitiba, capital do Paraná, é a capital com menos prática por semana.
A divulgação desta pesquisa não foi bem recebida pelos curitibanos, que usam como argumento que o importante é a qualidade e não a quantidade. Dizem os curitibanos que o pessoal das outras capitais mentiu ou contou os chamados meio sexo como números inteiros, que reforça os argumentos da qualidade e não quantidade.
Os estudiosos ainda estão analisando o fato para encontrar uma explicação.

Vem aí os E-READERs que prometem acabar com os livros impressos em papel

Gutemberg deve estar muito chateado, mas ele já contribuiu muito com a cultura do mundo, agora chegou a hora da sua aposentadoria.
A tecnologia atual, que com os computadores e a internet praticamente estão acabando com os meios de comunicações impressos, faz com que as notícias praticamente sejam em tempo real, economizando-se tempo e papel. Até as bibliotecas já estão sendo desprezadas, principalmente pelos estudantes, que fazem a maioria de suas pesquisas na internet.
Agora vem aí aquilo que promete ser um tiro de misericórdia nos livros impressos em papel e também nas editoras, trata-se dos livros em meios digitalizados. Os aparelhos chamados “e-readers”, que foram apresentados na última feira do livro, realizada neste mês de outubro de 2008 em Frankfurt na Alemanha, são leves e com capacidade para armazenar centenas ou milhares de livros, com a tecnologia de “tinta elétrica”, que forma as letras no visor em contraste com um fundo claro. O resultado, sem a luz de fundo dos computadores e celulares, é uma legibilidade muito maior, que não cansa a vista durante a leitura, com a vantagem que o texto pode ser mostrado em diversos tamanhos.
Seu funcionamento é praticamente o mesmo dos aparelhos de MP3. Basta plugá-lo no computador via USB e colocar um arquivo de texto na memória interna. Quase todos os aparelhos no mercado, inclusive, são também tocadores MP3, e softwares podem transformar qualquer e-book em audiolivro com facilidade.
sony-reader-prs-505.JPG

A calvície é genética, dizem as novas pesquisas

A calvície está presente em uma grande parcela dos homens, independente da região do mundo, da raça ou até da idade. Em algumas famílias não escapa um e começa bem cedo. É causada por diversos fatores, porém até onde se conhece são os fatores genéticos os maiores causadores. Influenciam muito a vida social da pessoa e a deixam com fisionomia de mais velho.
Estudos anteriores já haviam demonstrado que variações no gene que codifica o receptor de androgênio, carregado no cromossomo X, herdado da mãe, afetariam a calvície masculina. Agora dois estudos independentes, publicados na edição da revista científica Nature Genetics, sugerem novos fatores genéticos que influenciariam a calvície masculina. Segundo as pesquisas da Universidade de Bonn, na Alemanha e do King’s College, em Londres, há uma estreita relação entre a calvície e a ocorrência de duas variantes genéticas do cromossomo 20. Segundo os pesquisadores, 14% dos homens possuem as duas variantes, que aumentam em até sete vezes o risco de desenvolver a calvície antes dos 40 anos.
Com esses estudos os cientistas pretendem conseguir o diagnóstico da calvície antes dos 50 anos e também o desenvolvimento de novos medicamentos de prevenção.
Espero que também consigam alguma descoberta para recuperar os cabelos dos que já há muito tempo os perderam.
Eu e milhares de viventes agradeceremos!!!