Category Archives: Preservação

A Amazônia é nossa, disse o Presidente Lula

Os sucessivos governos brasileiros têm negligenciado a região amazônica. Uma extensa área sem os devidos cuidados. Uma floresta riquíssima e uma região de recursos minerais incalculáveis.
A cobiça dos estrangeiros não é de hoje. Há muitos anos que diversas organizações travestidas de ONGS vêm atuando na região, sem serem incomodadas.
Os argumentos são sempre os mesmos, defender o meio ambiente e os índios. Mas estas ONGS não se interessam em atuar junto às populações pobres do nordeste e das favelas nas grandes cidades brasileiras, que somam milhões de pessoas.
Já é passada a hora do governo brasileiro assumir uma postura digna do povo brasileiro e controlar de perto essa atuação dos estrangeiros em nosso território, expulsando e colocando na cadeia estas pessoas que estão nos espoliando.
Não basta o Presidente Lula dizer em discursos inflamados que a Amazônia é nossa, é necessário ele fazer alguma coisa para mostrar que realmente esta área ainda é nossa !

A falta de alimentos no mundo e o biocombustivel

Não tardou muito para que os grandes interesses econômicos do mundo se voltassem contra o programa do biocombustivel brasileiro. Em discurso recente o presidente Lula acusou os grandes grupos do Petróleo como responsáveis por essa propaganda negativa contra o nosso biocombustível. Isso tem fundamento, pois se a matriz energética mundial sofrer grandes mudanças, esses grupos terão grandes prejuízos.
Os grandes argumentos, principalmente dos europeus, é que grandes áreas de plantio de alimentos poderão ser destinadas à cana de açúcar e que áreas florestais, como a região amazônica, serão devastadas para plantio de cana. Esses argumentos deles também têm alguma consistência. Então quem tem razão?
No meu entender, os dois lados têm razão e ao mesmo tempo nenhum deles. Na verdade existem pressões de grupos econômicos europeus e mundiais para que seus interesses petroleiros não sejam afetados e eles também querem continuar comprando alimentos dos países pobres a preço vil. Por outro lado, se esse programa do biocombustivel não for bem implementado, esses argumentos deles podem se confirmar, pois aqui no Brasil a ganância de nossos grupos econômicos e a falta de comando do nosso governo facilita esse processo.

O aqüífero Guarani e a previsão de falta de água no futuro

O Aqüífero Guarani é a maior reserva subterrânea de água doce do mundo. A maior parte 70% ou 840 mil km² da área ocupada pelo aqüífero, cerca de 1,2 milhão de km², está no subsolo do centro-sudoeste do Brasil. O restante se distribui entre o nordeste da Argentina (255 mil km²), noroeste do Uruguai (58 500 km²) e sudeste do Paraguai (58 500 km²), nas bacias do rio Paraná e do Chaco-Paraná.
No Brasil, o aqüífero integra o território de oito estados, sendo Mato Grosso do Sul (213 200 km²), Rio Grande do Sul (157 600 km²), São Paulo (155 800 km²), Paraná (131 300 km²), Goiás (55 000 km²), Minas Gerais (51 300 km²), Santa Catarina (49 200 km²), Mato Grosso (26 400 km²).
O aqüífero possui um volume de aproximadamente 55 mil km³ e profundidade máxima por volta de 1 800 metros, com uma capacidade de recarregamento de aproximadamente 166 km³ ao ano por precipitação. É dito que esta vasta reserva subterrânea pode fornecer água potável ao mundo por duzentos anos.
Há até pessoas que acham que a presença do EUA na região da tríplice aliança, com o acordo com o Paraguai e estabelecimento de base militar, se deve ao aqüífero, pois se prevê falta de água potável no mundo no futuro.
aquifero-guarani.JPG

Energia eólica em edifícios

O mundo todo anda empenhado na busca de energias limpas e renováveis. O Brasil com o biodiesel e outros paises com outras modalidades, como energia eólica, solar e até aproveitamento das ondas do mar.
No mês de abril de 2008 foi inaugurado no Bahrein o primeiro conjunto comercial do mundo equipado com turbinas de vento para gerar eletricidade, que deve prever de 11% a 15 % da energia elétrica consumida pelo prédio.
Agora só falta os pesquisadores descobrirem uma maneira de aproveitar a enorme quantidade de energia elétrica gerada pelas nuvens e descarregada através de raios sobre a terra.
energia-eolica-baherein.JPG

Construções antigas são históricas ou empecilhos nas cidades?

Todas as cidades brasileira são cheias de construções antigas. Umas até são habitadas ainda, mas outras simplesmente se encontram abandonadas e trazendo perigos de desabamentos ou sendo usadas por marginais.
As situações para esse abandono são as mais diversas, como falta de recursos para reformá-las, questões que envolvem conflitos de heranças e muitas outras.
Porém tem casos em que o poder público impede a demolição e exige que as características do imóvel sejam preservadas em caso de reformas, desestimulando os proprietários de qualquer iniciativa.
Em qualquer dos casos quem sai perdendo é o povo em geral, que paga altos impostos, que são gastos em infra-estruturas e benfeitorias nestes locais inutilizados.

A Gralha Azul e o pinheiro do Paraná

No sul do Brasil os meses de invernos são muito frios, com incidências de geadas e em algumas cidades até neve.
Nos estados de Santa Catarina e Paraná a floresta no passado era dominada pela Araucária angustifólia (pinheiro do Paraná ), porém a indústria madeireira quase a colocou em extinção. O pinheiro é uma árvore grande e sua madeira de ótima qualidade foi muito usada em construções de casas no passado. A sua semente, o pinhão, nasce em pinhas que cresce penduradas nos galhos. Muitas pinhas são produzidas em um só pinheiro.
Nos meses de inverno é também o período do pinhão na região, coincidindo com as festas juninas, sendo uma das comidas tradicionais nestas festas.
O pinhão, semente da araucária, árvore-símbolo do Estado do Paraná, é também o principal alimento de uma ave da região, a gralha azul. Esta ave tem o hábito de enterrar o pinhão, com o objetivo de preservar o seu alimento para outra época do ano, quando passar o seu período. Com o passar dos tempos a ave esquece a semente enterrada e a mesma germina, dando origem à nova árvore, sendo assim o principal responsável pela perpetuação da araucária. É uma ave muito linda e também símbolo do Paraná.
gralha-azul.JPG

O Aquecimento global atormenta a humanidade

Em todo o mundo cresce cada vez mais a luta e a mobilização nos últimos anos com o objetivo de conter as grandes alterações que estão se observando no planeta terra. Alterações são observadas principalmente no clima, elevação do nível dos oceanos e muitas outras. Um dos grandes culpados por essas alterações tem sido o famigerado aquecimento global, que entre as várias causas a mais apontada tem sido a excessiva geração de gases poluentes, como CO2, por indústrias e automóveis.
Essa preocupação tem realmente mobilizado muito as pessoas e países mais conscientes. As principais feiras de automóveis dos últimos meses pelo mundo apresentaram veículos com projetos avançados no sentido de conter a poluição e queima de combustíveis fósseis, substituindo-os por outras fontes alternativas e menos poluentes. O setor industrial também tem dado importantes avanços, porém ainda encontra oposição por parte de muitos países, principalmente EUA e China.
Organizações com o objetivo de acompanhar e estudar os fenômenos e causas do aquecimento global são criadas a todo momento no mundo todo. Uma dessas organizações é a Germanwatch, que desde 2006 tem publicado anualmente o índice de Performance sobre Mudança Climática, com o objetivo de aumentar a pressão sobre os países industrializados que mais contribuem para o aquecimento global, entre eles EUA, com 21,44% das emissões de CO2; China (18,8%), Rússia (5,69%), Japão (4,47%), Índia (4,23%) e Alemanha (3%). Em final de 2007 a organização publicou a avaliação dos esforços dos principais países emissores de CO2, por ocasião da 13ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática, realizada em Bali (Indonésia). Entre os dez países mais poluentes e que fazem menos esforços destacam-se Rússia, Canadá, Austrália, EUA e Arábia Saudita. Na lista dos países que mais lutam contra as mudanças climáticas, entre as 56 nações mais poluentes do planeta, segundo o índice elaborado pela ONG Germanwatch, estão a Suécia, Alemanha, Islândia e México. O Brasil foi colocado na 8.ª posição e a Argentina na 10ª. Os 56 países analisados pelo índice são responsáveis por 90% das emissões de CO2 lançadas à atmosfera.
Outro estudo importante, divulgado em janeiro de 2008, sobre os efeitos do aquecimento global foi do Instituto Espanhol de Oceanografia (IEO). O documento analisa dados oceanográficos e atmosféricos que vêm sendo recolhidos sistematicamente pelo IEO e por outras instituições espanholas e alerta que o nível do mar Mediterrâneo poderá aumentar 50 cm nos próximos 50 anos, devido aos efeitos do aquecimento global. Segundo o Instituto, as zonas de praias tem sido afetadas, devido a uma série de efeitos, como o aumento de 0,8°C das temperaturas médias do ar na região mediterrânea entre 1974 e 2005 e o registro de um aumento do nível do mar de 16 cm entre 1992 e 2005.
Outro fenômeno importante foi a imagem tirada em 25.03.2008 por um satélite, que mostra o momento do desabamento de um pedaço com mais de 410 km de extensão da plataforma de gelo conhecida como Wilkins, na região oeste do continente antártico. O desmoronamento teve início no dia 28 de fevereiro. Segundo os cientistas, o acontecimento é resultado do derretimento polar provocado pelo aquecimento global e eles temem que o restante da plataforma de gelo também desmorone, o que pode ocorrer nos próximos 15 anos. A Wilkins teria se formado no local há cerca de 1,5 mil anos e tinha, inicialmente, 14,5 mil km de extensão.
Muitas outras ocorrências ainda estão por vir, com

O Greenpeace e a luta pela preservação do planeta terra

O Greenpeace é uma ONG ( organização não-governamental ) com sede em Amsterdão (Holanda do Norte, Países Baixos) e escritórios espalhados por quarenta e um países. A organização foi criada em 1971 no Canadá por imigrantes americanos. Entre os primeiros ativistas que ajudaram a fundar a organização na década de 1970 havia pessoas com estilo de vida hippie e membros de comunidades quakers americanas, que migraram para o Canadá por não concordarem com a guerra do Vietnã. Entre eles o nome mais destacado é Robert (Bob) Hunter, falecido em maio de 2005.
A organização atua internacionalmente com campanhas, protestos e ações que procuram atrair a atenção da mídia para assuntos urgentes e assim confrontar e constranger os que promovem agressões ao meio ambiente em questões principalmente relacionadas à preservação do meio ambiente e outros temas bastante polêmicos relacionados com a vida na terra, como desmatamento, poluição, clima, nuclear, oceanos, genética, substâncias tóxicas, energias renováveis e outros.
É financiada com dinheiro, equipamentos e bens materiais de pessoas físicas apenas, não aceitando recursos de governos ou empresas. Tem atualmente cerca de três milhões de colaboradores em todo o mundo, com aproximadamente quarenta mil só no Brasil.
O Greenpeace tem feito atuações muito importantes, principalmente impedindo testes nucleares em várias regiões do mundo, a caça á baleia e outros animais. No Brasil eles têm lutado muito para impedir o desmatamento da região amazônica.

O aquecimento global, desmatamento e retirada da madeira do Brasil ilegalmente para EUA e Europa. A atuação do Green Peace

O mundo todo está mobilizado com o tema “aquecimento global”. Consideram como um dos maiores vilões o desrespeito do ser humano com a natureza em vários sentidos, principalmente pelo desmatamento desenfreado das principais florestas. Na Europa e outros continentes isso já ocorreu há anos atrás e agora essa ganância veio para o Brasil. O mundo todo reclama do desmatamento da região amazônica e culpam os brasileiros, mas não dizem que a maior parte da madeira retirada, de uma forma ou de outra, está sendo transportada para fora, principalmente para os EUA e Europa, sem controle e algumas vezes clandestinamente. São portanto mais responsáveis que nós brasileiros e nos culpam com segundas intenções, provavelmente para nos tomarem a região e dela sugarem outros recursos, principalmente minerais.
O presidente Lula ano passado até pronunciou umas bravatas, como é de seu estilo, dizendo que esse tão proclamado desmatamento não existia. Logo foi desmentido por órgãos do seu próprio governo e teve que tomar algumas medidas, ainda muito fracas.
O desmatamento da região continua, com pouco controle por parte do nosso governo e também dos países que recebem, pois para eles parece suficiente reclamar do Brasil.
No último dia 17.03.2008, militantes do Greenpeace interceptaram o “Galina III”, um cargueiro com bandeira de Malta que transportava cerca de 6 mil toneladas de madeira, a poucas milhas do porto de Caen-Ouistreham, oeste da França, com o objetivo de impedir o descarregamento da madeira em portos da Europa, exigindo que o governo brasileiro enviasse certificados que comprovassem que a madeira foi cortada legalmente.
Essa atitude ajuda um pouco, mas muita outra coisa tem que ser feita ou o planeta não terá retorno.

Água, um produto muito nobre e caro

A água é um dos produtos dos mais nobres e está cada vez mais escasso. Quando não tratada ou contaminada gera muitas doenças.
Uma grande luta já está sendo travada para preservação e economia deste tão nobre produto. Muitos municípios já possuem legislação que trata desse assunto, obrigando projetos que armazenem as águas das chuvas ou outras medidas.
Os custos para seu tratamento são caros e embora em sua maioria subsidiados pelo poder público ainda pesam muito em nossos orçamentos. Em condomínios prediais todo cuidado deve ser tomado. Deve-se estar atento aos vazamentos e desperdícios. No edifício onde resido foi tomada uma atitude tempos atrás que resultou em metade dos gastos com a água. Foram trocados os dois vasos sanitários de todos os apartamentos por outros mais modernos, que além de serem mais eficientes, bastando uma só descarga por vez, usam metade da água que os antigos.
Esse produto ainda vai valer como ouro !!!