Category Archives: Regulamentação

Receitas médicas escritas no computador e as vendas de remédios nas farmácias

Quando vamos comprar qualquer remédio em uma farmácia, o vendedor já se preocupa em oferecer outro, alega que é a mesma coisa, que faz o mesmo efeito, que tem a mesma fórmula. Será que isso é verdade? Nem sempre, porque eles tentam vender o produto que lhes dá mais lucro, mais comissão. Daí você toma os tais remédios mais baratos, que nem sempre fazem o mesmo efeito e você gasta até mais e não se cura direito.
Outro problema que ocorre com freqüência é quando vamos com aquelas receitas de médicos, que são só rabiscos, que o farmacêutico tem que adivinhar o que está escrito. Nem sempre o vendedor da farmácia tem formação e percepção para adivinhar e vende o que ele imagina ser.
Há muito tempo se tem falado e combatido esse hábito dos médicos, que acham que quanto mais ilegível for sua receita, mais valorizado eles ficam.
Para eliminar com esse problema algumas atitudes tem sido tomadas pelos órgãos públicos. Em Brasília foi aprovada uma lei, que entrará em vigor dentro de 90 dias, que toda receita de médico ou dentista deverá ser impressa no computador. Desta forma eliminará este problema.
Acho bem melhor mesmo, pois receita é para ser lida e não adivinhada, além do que o profissional poderá se organizar com um cadastro e um prontuário dos pacientes, que em caso de necessidade a qualquer toque poderá se ter todo o histórico do paciente.
Os bons profissionais já fazem uso da tecnologia em seu trabalho.

Comprar roupas no Brasil é difícil, pois a numeração é variável conforme a marca. A ABRAVAST pretende padronizar isso

A falta de padronização na numeração de roupas e calçados no Brasil é realmente um problema. Você usa uma numeração para cada marca. Tem algumas que baixam a numeração de seus produtos só para agradar os usuários, que se sentem menores do que realmente estão. Todos querem se sentir mais magros, sem regimes. Eles descobriram isso e estão enganando os incautos.
Agora a Associação Brasileira do Vestuário ( ABRAVAST ), pretende padronizar as numerações. Se você usar uma numeração de roupa ela terá que ser a mesma para qualquer marca.
Isso será bom até quando queremos presentear alguém com roupas.

Serviços funerários nas grandes cidades

Quando uma família tem algum ente querido que parte desta vida para outra é um momento de grande aflição. Se é um fato esperado é possível se prevenir, porém se acontece por algum acidente ou até mesmo por um fato inesperado da saúde, como infarto, aneurisma cerebral ou outro tipo de doença que leva o ente de uma hora para outra, a família é pega de surpresa e o momento é doloroso.
É nesse momento que vem a exploração de um segmento, que embora necessário, tem sido até inescrupuloso por vezes, o dos serviços funerários. Eles se aproveitam do momento difícil da família, que tem pouco tempo e lucidez para tomar as decisões. Tem lugares que até brigam em frente aos hospitais, disputando o corpo do infeliz.
Algumas vezes o poder público tenta amenizar este problema, estabelecendo alguma regulamentação, que depois acaba também se corrompendo.
Em Curitiba – PR, sabemos que há apenas 21 funerárias credenciadas para esses serviços, que na verdade estão nas mãos de apenas quatro famílias, com empresas de nomes diferentes.
Está na hora de uma regulamentação federal sobre o assunto, para que as famílias não sofram mais do que a perda de seus entes queridos.

Muita confusão na abertura da temporada da Fórmula 1 na Austrália

Todos estavam ansiosos para ver os efeitos das mudanças promovidas nos regulamentos da fórmula 1 para a temporada de 2008.
Foram muitas as modificações, visando promover mais as habilidades dos pilotos e menos a tecnologia. Uma das mudanças mais significativas talvez tenha sido a retirada do controle de trações dos veículos, que faz que se sobressaia a habilidade dos pilotos. Outras mudanças foram promovidas nos regulamentos de classificação e da corrida em si.
Pela amostra acho que as modificações trarão de volta as emoções de antes, quando a competição empolgava as manhãs de domingo dos brasileiros com a participação dos nossos pilotos.

Sacolas plásticas de supermercados. Grande problemas em lixões

Há algumas décadas atrás as embalagens plásticas tomaram conta do mercado, como a solução de todos os problemas do comércio. Proclamadas como promotoras de higiene e facilidade. Antes a gente ia no armazém e o vendedor tinha os produtos a granel, que embalava em sua frente em cartuchos de papel. Realmente era um atraso total, sem higiene e um atendimento demorado. Daí veio a tal embalagem plástica. Tudo ficou facilitado. Surgiram por todos os lados empresas fabricantes das tais embalagens. No começo eram empresas que vinham com tecnologias européias, mas logo surgiram algumas empresas nacionais fabricantes de máquinas e aumentou mais ainda o número de fabricantes de tais embalagens e ela tomou conta do mercado.
Os supermercados adotaram a praticidade de servir seus clientes com as tais sacolas de plásticos e as donas de casa acharam nisso uma grande solução para o expurgo do lixo caseiro. Tudo parecia maravilhoso, mas logo a natureza sentiu o efeito disso. Os lixões viraram só plástico e descobriu-se que esse material leva muitos anos para se decompor, virando um grande problema.
Aquilo que parecia a solução, na verdade se transformou em um grande problema para a natureza. Agora se tenta voltar às origens e se combate com rigor as tais embalagens.
No Estado do Paraná o governo proibiu o uso delas e impõem pesadas multas aos supermercados, forçando-os a adotar as chamadas oxibiodegradáveis e uma grande campanha é feita para que se volte aos velhos tempos, quando se levava a sacola de casa para trazer as compras.
Se o homem não for mais consciente não terá mais seu planeta para viver.

O monitoramento do leite e derivados

Após o escândalo da adulteração do leite longa vida por algumas cooperativas no Brasil em 2007, onde era adicionada até água oxigenada, o governo resolveu tomar providências.
Está implantando um sistema de monitoramento em todos os Estados do país para fiscalizar os leites e seus derivados. Até o leite em natura, vendido por pequenos produtores, direto aos consumidores, deverão ter um rígido controle, segundo informa o governo.
E já é tarde !!!

A criação de gado no Brasil. A exigência de rastreamento da comunidade européia

A tecnologia está presente em todas as áreas. E as exigências crescem com ela. Todos acompanharam o impasse entre o governo brasileiro e a comunidade européia na questão de importação de carne bovina brasileira. É claro que nesse assunto não é só questão sanitária, por trás disso está o protecionismo europeu, que seguidamente retoma o assunto.
É claro que as exigências impostas são necessárias e os criadores de gado brasileiros terão que se adaptar a elas, pois isso todo o mercado mundial irá exigir daqui para frente.
Algumas fazendas há muito tempo já se adaptaram a elas e se tem notícias do alto nível tecnológico que usam. Com chips implantados no gado eles são monitorados por satélites e tudo é informatizado. Sua identificação, local em que se encontra, se está vivo ou não, suas vacinas, a linhagem, histórico de doenças, etc. Este rastreamento deve ser seguido pelos frigoríficos e depois pela comercialização, até chegar ao consumidor.
Isso custa caro, mas o consumidor poderá conhecer o que está comprando.

Congestionamentos de trânsitos nas cidades, câmaras, radares e estacionamentos regulamentados

Os recentes aumentos nas vendas de carros, anunciados com euforísmo pelo setor, trazem também um grande problema para ser resolvido.
Cada vez mais as cidades se deparam com o terrível problema de administração do trânsito. Nos horários de picos, pela manhã, meio dia e a tarde é um terror andar de carro no centro das cidades. Se há alguma obra sendo feita ou se estiver chovendo se torna pior ainda. Junto com esse problema vem o da poluição, que também aumenta cada vez mais.
Há os que dizem para se deixar os carros em casa e usar o transporte coletivo, mas isso é praticamente impossível também, pois em quase nenhuma cidade esse transporte é adequado e rápido o suficiente. O preço também não é condizente, pois quando se tem que tomar vários ônibus para se chegar a um certo lugar, que muitas vezes de carro é bem perto, além do custo desse transporte há a enorme perda de tempo. Muito terá que ser melhorado para se poder oferecer esse serviço à maioria da população.
Outro problema é onde estacionar o carro nos centros urbanos. As vias públicas já estão com as vagas esgotadas. Quase todos os municípios transformaram as poucas vagas em uma grande indústria e passaram a cobrar por esse estacionamento, mesmo sem oferecer nenhuma segurança ao usuário. Quase não há imóveis disponíveis ou adequados para se criarem os estacionamentos e quando os utilizamos são a preços insuportáveis.
As cidades se encontram tomadas pelas câmaras e radares, pois as autoridades descobriram no trânsito um grande vilão para alimentar sua ganância arrecadatória, transformando um grande tema em uma grande indústria da multa.
Muitas prefeituras já falam em implantar aqui no Brasil o pedágio urbano, com o intuito de arrecadar mais ainda, porém não propõem soluções para que o usuário substitua o carro por outro meio adequado de transporte.
Aqui no Brasil já virou mania das autoridades em aumentar impostos, criar taxas, multas e outras artimânias em vez de arrumar soluções para os problemas.

SPANS, uma praga em nossos computadores

Cada vez que abrimos nosso computador e acessamos a internet, perdemos muito tempo com a limpeza das nossas caixas postais. Elas ficam entupidas de mensagens não autorizadas e muitas delas maliciosas, que quando abrimos remetem a algum link, que, se aberto, instalará algum arquivo que conseguirá captar do nosso computador dados pessoais e confidenciais, para serem usados em atos ilegais.
Em alguns países já existem leis severas contra isso, mas agora também já está tramitando no congresso brasileiro um projeto que tornará mais rigoroso e punitivo o uso de spans, quando não autorizados.
Porém, como as demais leis no Brasil, não basta elas existirem, o importante é o seu comprimento e fiscalização.
Muito ainda terá que ser feito para que nosso país se torne confiável e o respeito seja implantado.

Moto boy. Moto táxi. Serviço de entrega rápida. A utilização da motocicleta

As grandes cidades vivem a mania do serviço rápido. Ninguém quer perder tempo com nada. Já se tornou uma neurose. As pessoas ficam aflitas no trânsito, principalmente no final do expediente, porque querem chegar urgentemente em casa, muitas vezes até causando graves acidentes, depois sentam em frente à televisão e ficam assistindo novelas.
Essa neurose pelo “urgente” fez aparecer nas grandes cidades a exploração comercial de muitos serviços. Aí a utilização da motocicleta foi imbatível. Veículo rápido, com acesso em lugares estreitos e muito econômico. Vence barreiras difíceis nos dias de hoje, como os grandes congestionamentos de trânsitos. Em algumas cidades elas são utilizadas até como táxi.
Porém a sua utilização e a urgência das entregas tem trazido algumas graves conseqüências. Muitos trabalhadores desse setor não tem habilitação necessária, compram primeiro a moto para depois se documentar e se habilitar, muitas vezes morrem antes de conseguir. Transformam as motos, encolhendo o guidão, para poder passar por entre os carros, tirando a estabilidade de projeto do veículo.
Estatísticas feitas nos centros urbanos demonstram que mais de 60 % dos acidentes envolvem motociclistas.
Já é passada a hora de se tomar as medidas necessárias !!!