Publicidade



O comércio de carros usados

Em épocas de poucos empregos o comércio informal se proliferou. Camelôs surgiram por todos os lados e em todas as cidades.
Com produtos trazidos de contrabandos do Paraguai nem se fala. Foram um tanto prejudicados com as lojas chamadas 1,99, que se especializaram em vender produtos chineses, trazidos em grandes carregamentos em conteiners e muitas das vezes de contrabandos em grande escala, como muito se tem noticiado.
Mas bem antes disso tudo, um comércio que ainda até hoje existe é o do comércio de carros usados. Lojas especializadas surgiram, mas existem os chamados “picaretas”, que trabalham nas ruas e sem endereço ou qualquer referência.
Há os picaretas que vendem carros usados em cidades do interior, trazidos de outras cidades, para serem vendidos para o pessoal que trabalha na lavoura, que pouco conhecem ou que pouco tempo e condições têm para procurar um veículo. Esses normalmente são os malandros, que vendem carros com problemas e desaparecem. Algumas vezes até carros roubados, com chassi adulterado ou com documentação com problemas.
Muitos compram carros sinistrados em leilões só para ter a documentação, depois roubam carros semelhantes, adulteram o chassi e vendem como se o carro sinistrado tivesse sido reformado.
Todo cuidado é pouco quando se vai adquirir um carro usado.

Publicidade