Publicidade



O etanol e as usinas de álcool no Brasil

O governo brasileiro tenta vender ao mundo o combustível proveniente da cana de açúcar, o etanol. A crise de alimentos impõem algumas restrições, pois alegam que com as terras sendo utilizadas para o plantio da cana não se plantaria outros alimentos ou que as terras da amazônia brasileira seriam utilizadas para plantio de cana ou outros produtos, expulsos das terras do sul do país.
Com esses argumentos rebatidos, países compradores em potencial do nosso etanol, principalmente os europeus, justificam sua apreensão pela expansão da nossa produção pelo uso de trabalho quase que escravo da mão de obra utilizada no cultivo e corte da cana, além das queimadas poluidoras.
Isso é uma verdade, mas há de se considerar também que gradativamente o cultivo da cana do Brasil tem sido mecanizada, com a substituição das queimadas e do corte manual.
Mas o que fazer com essa mão de obra, que pelo seu baixo preparo terá grande dificuldade para recolocação ? Certamente irão se somar às outras, já expulsas de outras culturas que foram mecanizadas e hoje formam as favelas nas periferias da maioria das cidades brasileiras, trazendo grandes problemas sociais.
Se não for bem planejado, esse projeto mais uma vez vai favorecer os grandes e principalmente grupos multinacionais, que retirarão riquezas das nossas terras e o povo brasileiro ficará só com o ônus desse empreendimento.

Publicidade